Home    Colunista    Ilauro de Oliveira

O esforço bem-vindo de Alexon Cipriano

Por Ilauro de Oliveira

15.02.2019

É mais que bem-vindo, diria necessário, o esforço do novo presidente da Câmara de Cachoeiro, Alexon Cipriano (Pros), para colocar o poder legislativo cachoeirense em destaque no cenário político capixaba.

A busca de contatos em nível estadual, como passou a fazer nesta semana, revela um espírito protagonista que os políticos do município sempre tiveram, e que não se justifica perder nas mãos dos mais jovens.

Produtor natural de grandes lideranças, Cachoeiro de Itapemirim precisa manter de pé esta vocação. Não obviamente com o desejo de aproveitar-se dessa habilidade para competir ou se sobressair perante aos municípios vizinhos, prejudicando-os. Antes o contrário. Ser grande, ser forte, se fazer ouvir, para que desta força surjam mecanismos que fortaleçam a igualdade e a fraternidade entre as cidades Sul capixabas.

Nas andanças tanto pelo Caparaó quanto pelo litoral, uma constatação entristece: a de que o mundo político que circunda Cachoeiro teme-o mais do que admira. Não enxerga nele a parceria necessária para liderar um movimento desenvolvimentista regional, mas sim um adversário forte, um buraco negro desejoso por sugar o que de melhor estiver ao seu redor.

Embora seja o universo político um lar de brutalidade e de competição, há que se ter sempre que puder o espírito harmonioso e solidário do poeta Newton Braga, e, às vezes, morrer por dores que não são nossas. Cachoeiro pode se fortalecer muito, na medida em que se apresente como soldado em defesa de interesses da região, mesmo que não estejam diretamente vinculados ao município.

Daí a importância de um presidente de Câmara fazer o que começou o Alexon. Estar perto, se apresentar, se mostrar, ser parceiro, ir nos poderes, nos vereadores colegas dos outros municípios, se mostrar capaz de protagonizar.  

A extensa agenda que o presidente cumpriu nesta semana, inclusive assumindo um cargo de coordenador da região Sul na Associação das Câmaras Municipais do Espírito Santo, mostra que o poder legislativo tem sua importância para além da clássica divisão de Montesquieu. É vivo, e deve ser ativo e conectado com os desejos dos cidadãos, e defendê-los, e honrá-los.

Não é poder de meras excelências sentadas acomodadamente em suas cadeiras, ao frescor do ar condicionado, gastando palavras e dinheiro do contribuinte. Um vereador precisa se movimentar, em busca de ser útil ao povo. Por isso quando vejo sangue novo, ativo, como agora se apresenta o novo presidente da Câmara de Cachoeiro, contemplo ainda mais o voto como uma sólida arma em tempos de democracia.

O presidente de um poder precisa ter consigo a inquietude dos jovens para contaminar seus pares e com isso adquirir o respeito da sociedade. Sem essa chama, a Casa de Leis que comanda será sempre considerada um apêndice do poder executivo e cuja necessidade de existir viverá mergulhada em questionamentos e desconfianças. 

*************************************************************

“E foi por ter posto a mão no futuro / Que no presente preciso ser duro / E eu não posso me acomodar / Quero um país melhor” – Carta à República (Milton Nascimento)

 

 

Comentários


Ilauro de Oliveira

ilauro01@gmail.com

 

 

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web