Home    Colunista    Ilauro de Oliveira

Aos 152 anos, um presente para Cachoeiro

Por Ilauro de Oliveira

25.03.2019

Nessa data mais que querida, em que se comemoram os 152 anos de Emancipação Política de Cachoeiro de Itapemirim, os desafios batem à porta da maior cidade do interior do Espírito Santo. E entre tantos, um ocupa de maneira mais urgente as ações do prefeito Victor Coelho, e preocupa cotidianamente os cidadãos: como crescer economicamente.

Na busca de enfrentar esse desafio, que coloca o município entre os piores do estado quando o assunto é número de habitantes e capacidade orçamentária para investir, o prefeito encaminhou à Câmara Municipal um Projeto de Lei que visa estimular empresas a se instalarem ou expandirem suas atividades no município. Entre os benefícios positivos dessa ação, a geração de empregos seria a principal delas.

Os incentivos fiscais, a partir da concessão de benefícios tributários, são um instrumento vital para trazer novos empreendimentos para Cachoeiro e incentivar os que já estão instalados aqui a crescerem mais. Por isso, os vereadores precisam de atenção máxima e esforço redobrado para debater e principalmente acrescentar novas possibilidades para beneficiar Cachoeiro.

Não resta dúvida que bem debatido, concluído e votado sem o viés da politicagem e do partidarismo, esse Projeto de Lei pode ser um grande presente da Prefeitura e da Câmara para Cachoeiro nesses seus 152 anos. Tanto é assim compreendido, que o presidente do Poder Legislativo já tem feito reuniões com secretários municipais sobre sua tramitação na Casa de Leis.  

Já se vai longe um tempo em que políticos cachoeirenses sonhavam com a possibilidade remota de uma expansão da SUDENE para os municípios do Sul. Assunto sepultado. Hoje há que se construir ideias novas, como essa do prefeito Victor Coelho, cuja viabilidade cabe ser analisada e até melhorada, mas cuja iniciativa deve ser aplaudida.

Um outro instrumento que pode ser melhor trabalhado também por Cachoeiro é o Fundesul. Embora seja um Fundo de Desenvolvimento do Governo do Estado, maiores esclarecimentos junto aos empreendedores municipais e regionais podem ser feitos. Observa-se que o Governo lançou a ideia, disponibilizou os recursos na ordem de R$ 50 milhões, mas não houve uma massificação sobre o tema.

Palestras ou Seminários poderiam ser desenvolvidos em Cachoeiro, que, a priori, é um grande interessado na utilização do Fundo. Na cidade já há empreendimentos construídos com esses recursos, mas ainda é algo tímido. Talvez falte aquecer o tema. Justiça seja feita, apenas a prefeitura de Presidente Kennedy massificou o Fundesul com propagandas que buscam atrair os investidores. As demais cidades ficaram tímidas. Incluindo Cachoeiro.

Quem sabe agora, no momento em que se discute o Projeto de Lei sobre os incentivos fiscais, o tema Fundesul também possa voltar ao centro das discussões. Cachoeiro tem poucas alternativas para incrementar e fazer crescer sua economia, portanto não pode desperdiçar nenhuma chance que tenha.

*****************************************************

“É só o que eu tenho, e que vós não tendes, – que consolo triste! - é esta sensibilidade dolorosa que se comove com misérias que às vezes mesmo os que as carregam desconhecem, esta sensibilidade que é uma antena delicadíssima, captando pedaços de todas as dores do mundo, e que me fará morrer de dores que não são minhas”. – Fraternidade (Newton Braga)

   

 

 

Comentários


Ilauro de Oliveira

ilauro01@gmail.com

 

 

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web