Home    Colunista    Ilauro de Oliveira

Mário Louzada e o novo ciclo político-administrativo para Vargem Alta

Por Ilauro de Oliveira

08.10.2019

Em seus 31 anos de emancipação, Vargem Alta fecha ano que vem um ciclo político e administrativo histórico. Quis o destino e o voto do povo que o seu primeiro prefeito, lá nos idos dos anos 80, voltasse para governar o município, em uma linda história de reencontro entre João Altoé (PSDB) e sua gente.

Agora, três décadas depois, a cidade se prepara para o futuro. Em meio a matas e cachoeiras e corredeiras, sua beleza exuberante olha para um cenário onde o desenvolvimento sustentável precisa estar inserido cada vez mais.

A agricultura, a pecuária e a extração, marcas fortes da economia, vão se relacionando bem com o comércio e com algumas indústrias. É o futuro inevitável, onde a geração de emprego e renda precisa transformar o dia a dia dos cidadãos em felicidade plena, equilibrando sustentabilidade e desenvolvimento econômico.  

Neste cenário de belezas naturais e empreendedorismo, cabe ao poder público atrapalhar o menos possível, criando formas de catapultar essas vocações, respeitando, claro, o passado, o presente e o futuro de seu povo.

Dentro desses desafios, caberá ao cidadão escolher o substituto do prefeito João Altoé. Alguém que esteja preparado para iniciar o próximo ciclo político-administrativo de Vargem Alta. Alguém que não perca a essência política, mas que, sobretudo, conheça mais de gestão que de política, conduzindo o município em meio aos desafios do desenvolvimento sustentável.

Nesse contexto, coloca-se à baila o nome de Mário Louzada. Começa surgir nas hastes do PSB, seu partido, e entre veículos de comunicação da cidade montanhosa, a possibilidade do atual diretor-presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) ser pré-candidato a prefeito.

 Formado em Gestão Ambiental, Mário Louzada é especialista em Licenciamento Ambiental e Gestão Pública. Foi também superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama), em 2016, e secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano de Cachoeiro de Itapemirim entre 2017 e 2018.

O currículo acima se faz obrigatório para registrar que Mário reúne hoje totais condições de fazer gestão em Vargem Alta. Caso o PSB e mais as conversas políticas com os atores do município coloquem-no em posição de disputa, dá para dizer sem medo que a cidade ganha um nome que poderá ser o condutor desse novo momento político-administrativo tão necessário.

Observa-se que diversos municípios capixabas passam hoje pela chamada entressafra política. Nomes que já ocuparam o poder (alguns mais de uma vez) experimentam enorme desgaste junto aos eleitores. As tradicionais lideranças vão dando lugar a pessoas que nem sempre estiveram nas ruas buscando votos. Ao contrário, muitos que ocupam cargos eletivos hoje estavam fazendo gestão em empresas e mesmo em órgãos públicos. Não surgem como salvadores da pátria, mas sim como agentes capazes de gerar resultados para os cidadãos.

Pensando assim, não é difícil inserir o nome de Mário Louzada. Está preparado para suplantar o modelo tradicional de fazer política e governar em Vargem Alta. Em suas três décadas, a cidade começa a pensar em novas caras para o poder. Renovação mais que necessária para coadunar com sua beleza exuberante.

*******************************************************

“Vou imprimir novos rumos ao barco agitado que foi minha vida / Fiz minhas velas ao mar / Disse adeus sem chorar / E estou de partida / Todos os anos vividos / São portos perdidos / Que eu deixo pra trás / Quero viver diferente / Que a sorte da gente / É a gente que faz” – Novos Rumos (Paulinho da Viola)

 

 

Comentários


Ilauro de Oliveira

ilauro01@gmail.com

 

 

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web