Home    Colunista    Ilauro de Oliveira

Com Casagrande, Bancada Federal vive novo momento

Por Ilauro de Oliveira

10.01.2019

Nesta semana o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), fez sua primeira viagem a Brasília. No material oficial do Governo do Estado para a imprensa divulgar, um detalhe chamou a atenção: “O governador fez questão de destacar que atuará sempre em sintonia com a bancada federal capixaba”.

Seria, a princípio, um lembrete desnecessário, não fosse o fato de que no Governo anterior a bancada federal passou longe das agendas do governador Paulo Hartung em suas andanças oficiais pela capital federal.

Longe das fotografias oficiais de Hartung, os três senadores e os dez deputados federais foram solenemente ignorados na legislatura passada. Mas desta vez, o caminho avança para o inverso.

Assim como a Comunicação Oficial do Governo, alguns como o deputado Evair de Melo (PP) e a senadora Rose de Freitas (Podemos) fizeram questão de destacar em seus materiais para a imprensa que estavam alinhados com o governador Casagrande nas agendas.

Aliás, chama atenção o caso de Rose. Adversária de Casagrande nas eleições de 2018, deixou de lado o passado (Como dever ser, claro!) e continua atuando em pautas importantes para o povo capixaba, mas desta vez com o governador ao lado. No Ministério do Desenvolvimento, os dois trataram temas como macrodrenagem nas cidades de Cariacica e Vila Velha, habitação e saneamento básico.

Casagrande e Hartung sempre se destacaram pela diferença de estilos na hora de governar. Mais afeito ao diálogo com os parceiros políticos, o atual governador sabe o quanto será necessário a manutenção desse modelo de fazer política para que o Espírito Santo avance em temas como construção da ferrovia Litorânea Sul, Contorno do Mestre Álvaro e duplicação da BR 262, entre outros. E sabe que nisso a Bancada Federal pode e vai ajudar.

Trata-se de um bom início de governo. Bancadas Federais têm a sua importância no contexto político e administrativo do Governo Federal. Por que não haveriam de ser aproveitadas ao máximo pelos gestores estaduais, independente de siglas partidárias e divergências políticas?

 O governador Casagrande, ao que parece, pretende escrever um novo capítulo nessa relação.

************************************************

Enquanto isso, por terras capixabas, segue mal a relação do governador com vários prefeitos insatisfeitos com a suspensão dos convênios assinados no fim do governo anterior. Algo em torno de R$ 300 milhões deverão ser devolvidos.

A torcida é para que esse mesmo tom conciliador de Casagrande possa falar mais alto nesse caso também. E mesmo não concordando com a forma como os convênios foram firmados, o governador, num gesto de grandeza administrativa, mantenha os investimentos já pactuados para não prejudicar várias cidades. Inclusive muitas aqui da região Sul, Caparaó e Litoral.

*************************************************

“Agua, muita água confesso fizemos rolar/ Mas, um incêndio é difícil de se debelar/ E ainda chamam de vida essa chama cruel/ Atriz que destrói o seu próprio papel/ Chorando nervosa na hora rir” – Vida Madrasta (Paulinho da Viola/Hermínio Belo de Carvalho/Ivone Lara)

 

 

Comentários


Ilauro de Oliveira

ilauro01@gmail.com

 

 

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web