Procon alerta consumidores nas compras da Páscoa

Por | 01.04.2015



A proximidade do feriado de Páscoa traz às famílias preocupações com as compras. É comum encontrar, nessa época, supermercados e lojas de produtos típicos cheias. Mas o Procon de Cachoeiro de Itapemirim alerta: é hora de redobrar a atenção para não correr o risco de transformar os dias de descanso em dor de cabeça. 

 

A principal recomendação é não abrir mão da pesquisa de preços e estar atento às formas de pagamento, à validade e ao acondicionamento dos alimentos. “Como as pessoas vão às compras para adquirir muitos itens, é normal esquecer de verificar alguns desses quesitos, que precisam ser analisados”, conta o coordenador do Procon municipal, Rogério Athayde.

 

Ele lembra que também importante é ficar atento à fiscalização da carne, que deve ser vendida com identificação de origem, atestando que ela passou por vistoria técnica e está adequada para consumo humano, o que pode evitar contaminação e doenças. Quando chegar em casa, mais uma tarefa: “É fundamental que o consumidor guarde a nota fiscal de compra para possíveis trocas de produtos”, aconselha.

 

De olho nos abusos

 

Para ajudar os consumidores, a fiscalização do Procon está percorrendo diversos supermercados da cidade, verificando a exposição dos preços, a validade dos produtos e práticas abusivas no que se refere a ovos de Páscoa. A ação começou na semana passada em supermercados e lojas de produtos típicos. Até o momento, não foram encontradas irregularidades.

 

Confira as dicas do Procon de Cachoeiro!

 

- Não compre produtos industrializados que estejam vencidos e apresentem embalagens estufadas, enferrujadas, amassadas, furadas, rasgadas, violadas ou com vazamento. Se o supermercado estiver comercializando esse tipo de produto, o consumidor deve chamar o gerente e solicitar a retirada desses produtos das gôndolas. Se o consumidor notar que levou para casa um produto em péssimas condições, deve retornar, o mais rápido possível, ao estabelecimento onde efetuou a compra, munido da nota fiscal, e exigir a troca.
 

- O rótulo dos ovos de chocolate deve trazer a identificação do fabricante, a data de validade, o peso e a composição, já que determinadas doenças impedem aos seus portadores a ingestão de açúcar, leite ou glúten, por exemplo. É importante ficar atento ao peso do produto. Quando houver inclusão de brinquedos no interior do ovo, observe se na embalagem contém o selo com a idade recomendável para seu uso.

- A embalagem dos ovos deve estar em boas condições de armazenamento, longe de produtos de limpeza ou de odor forte e de qualquer fonte de calor. Verifique se há sinais de violação do conteúdo, furos ou amassados, pois é a embalagem que protege o produto de insetos e de contaminação.

- Ao optar por produtos de fabricação caseira, solicite, caso queira, uma visitação à cozinha e degustação antes da compra. Os fornecedores de produtos artesanais devem seguir as mesmas regras de comercialização dos industrializados.

- Por ser um produto sazonal, o ovo geralmente possui um preço maior quando comparado ao valor de uma barra de chocolate ou uma caixa de bombons. Evite levar as crianças para fazer as compras da Páscoa, uma vez que as cores das embalagens e os personagens infantis causam grande influência, o que pode resultar em gastos maiores do que o planejado.

- Antes das compras, verifique as condições de higiene do estabelecimento e dos atendentes. Esse cuidado também deve ser tomado com os vendedores ambulantes. Certos cuidados básicos podem evitar problemas, como doenças e intoxicações alimentares;

- Na compra do palmito para a tradicional torta capixaba e outros produtos ‘in natura’, verifique a procedência do alimento e observe se os produtos estão protegidos da presença de insetos, bem armazenados e refrigerados. As condições dos produtos são itens fundamentais para garantir um alimento saudável;

- Para produtos vendidos a granel, verifique o peso, quantidade e aparência do alimento. Recuse produtos mal acondicionados, verifique a presença de sujidades, mofo e não compre o produto se houver suspeitas sobre sua qualidade;

- Não compre produtos vencidos e que a embalagem não esteja em perfeito estado de conservação;

- Leia o rótulo dos produtos que devem estar em letras legíveis, em português, e trazer informações importantes como data de fabricação, prazo de validade, composição, peso, carimbos de inspeção, origem e fabricante/produtor, entre outros.

- Deixe os alimentos congelados e resfriados para o final das compras, logo antes de se dirigir ao caixa.

- Carnes e peixes: procure açougues que tenham boas condições de higiene.

- Tome cuidado com a carne que não foi fiscalizada, pois pode estar contaminada. Ela também pode ser contaminada depois da inspeção, no próprio açougue ou estabelecimento de comercialização; deve ser vendida com a identificação da origem;

- Todo produto deve ter preço devidamente exposto ao consumidor. É fundamental que o consumidor guarde a nota fiscal de compra para possíveis trocas de produtos.

 

 

Comentários Facebook


Mais Consumidor

Mais 11 lotes de cerveja Backer estão contaminados, informa ministério

Agersa apresentará ações de 2019 em audiência pública

Cerveja contaminada: Secretaria de Saúde confirma quarta morte em MG

Procon-ES reúne Sindibares e Acaps para discutir ressarcimento e troca de cervejas da Backer

Ministério determina recolhimento de todas as cervejas da Backer

Procon do ES debate ações sobre lote contaminado de cerveja artesanal

Cobrança de consumação mínima é proibida em Itapemirim

Rogério Athayde assume comando do Procon estadual

Veja como evitar golpes virtuais nas compras on-line para o Natal

EDP oferece condições especiais para negociação de dívidas

Procon-ES orienta sobre as compras na Black Friday

Procon dá dicas sobre possíveis armadilhas na Black Friday

Procon alerta consumidores nas compras da Páscoa

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web