Transparência em órgão público precisa melhorar, diz chefe da CGU

Lei de Acesso à Informação completa três anos em vigor, mas apenas 10% dos municípios pesquisados regulamentaram normas, segundo dados da Controladoria-Geral da União

Por | 20.05.2015

 

O ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Valdir Simão, disse nesta sexta-feira (15), que, apesar de avanços, a Lei de Acesso à Informação ainda não está consolidada no País. Neste sábado (16), a lei completa três anos em vigor.

 

Depois de pesquisar em 492 municípios com até 50 mil habitantes, incluindo todas as capitais do País, a CGU verificou que menos de 10% dos municípios pesquisados regulamentaram as normas. Entre os Estados, 21 e o Distrito Federal já têm regulamentação vigente.

 

Apesar de a CGU não ter papel de fiscalizar a lei, Simão lembrou que o diagnóstico pode ajudar em ações do Ministério Público Federal e de tribunais de contas. “O descumprimento pode caracterizar ato de improbidade administrativa”, comentou, durante apresentação de ranking de transparência.

 

“Corrupção não é só uma questão de caráter, é também questão de oportunidade. Na medida em que nós aperfeiçoamos a lei, e a transparência é uma ferramenta essencial para isso, nós inibimos a corrupção”, disse.

 

O relatório apontou que os Estados de São Paulo e Ceará são os que possuem maior transparência pública de informações em todo o País. Os menos transparentes são Amapá e Rio Grande do Norte. A CGU não analisou quais são as razões dessa baixa transparência.

 

A lei sancionada em novembro de 2011, mas em vigor desde maio de 2012, garante o acesso a documentos públicos de órgãos federais, estaduais, distritais e municipais dos três Poderes. O sigilo de documentos só será justificável em casos de proteção da segurança do Estado e de informações de caráter pessoal. A lei ainda obriga todo órgão público municipal, estadual e federal a responder pedidos de informação sobre os serviços prestados a qualquer cidadão.

 

 

Comentários Facebook


Mais Brasil

Exigência de simulador para obter CNH deixa de valer

Mega-Sena acumula e prêmio pode chegar a R$ 90 milhões

Mais 25 frigoríficos são autorizados a exportar para a China

Lotofácil da Independência tem 33 apostas ganhadoras 

Mais de 1,5 mil motoristas de aplicativos já são microempreendedores

ANTT suspende resolução com novas regras para cálculo de frete mínimo

Governo Bolsonaro vai instalar 1 mil radares em rodovias federais, diz ministro

Seis em cada dez brasileiros dizem que reforma da Previdência é necessária, revela pesquisa da CNI

Após reunião com governo, caminhoneiros descartam paralisação

Aposentadoria tem novo cálculo a partir desta segunda-feira

Dependência econômica e fé se misturam em Abadiânia, em Goiás

INSS: espera por perícia médica subiu de 20 para 89 dias

Repórter é barrado em coletiva da Samarco: "eles têm medo das perguntas"

Caiu 36% o número de mortes de crianças no trânsito em dez anos

FGTS e redução da maioridade penal terão prioridade na Câmara

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web