Dia Nacional de Combate ao Fumo: esporte é usado como arma contra tabagismo

Nesta segunda (29) - Dia Nacional de Combate ao Fumo -, o Instituto Nacional do Câncer lança campanha #MostreAtitude: sem o cigarro sua vida ganha mais saúde

Por | 00.00.

Motivado pelos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) adotou o esporte como temática de conscientização para o Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado nesta segunda-feira (29). 

Com o slogan #MostreAtitude: sem o cigarro sua vida ganha mais saúde, a campanha quer atingir principalmente a faixa etária entre 13 e 35 anos. A ideia é que o tema estimule a prática de esportes e, assim, influencie na prevenção e na cessação do tabagismo, já que o hábito de fumar atrapalha a execução de atividades físicas.

Ao consumir produtos que contêm tabaco, os praticantes de esportes diminuem sua performance, principalmente em relação à respiração. Segundo o Inca, enquanto pratica esporte, quem fuma fica cansado com mais facilidade; sofre com falta de ar; tem resistência reduzida e poder de reação mais lento.

Os benefícios de parar de fumar são percebidos rapidamente, após duas horas sem cigarro, a nicotina deixa de ser detectada na corrente sanguínea, após oito horas, o nível de oxigênio normaliza-se e, até 24 horas depois, os pulmões funcionam melhor. Dois dias depois da última tragada, já é possível perceber melhor cheiros e sabores e, após um ano, o risco de infarto do miocárdio cai pela metade.

Dados do levantamento "Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico", do Ministério da Saúde, houve redução de 33,8% no número de fumantes adultos nos últimos 10 anos, sendo que 10,4% da população das capitais brasileiras mantêm o hábito de fumar. Em 2006, o percentual era de 15,7% para o conjunto das capitais.

Os homens permanecem como os que mais fazem uso do tabaco (12,8%), e as mulheres fumantes representam 8,3% do total da população feminina das capitais. Há 10 anos, esse número era de 20,3% entre os homens e de 12,8% entre as mulheres.

O Ministério da Saúde alerta que, apesar da redução do número de fumantes, as doenças causadas pelo tabagismo acarretam aproximadamente 200 mil mortes por ano no Brasil. O tabaco é um fator importante no desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis como câncer e problemas pulmonares e cardiovasculares. 




Fonte: Portal Brasil

 

 

 

Comentários Facebook


Mais Saúde

Unidade de saúde do BNH de Cima recebe serviços de manutenção

ONG pede à África do Sul que legalize prostituição para combater HIV

Cachoeiro recebe 1º Fórum Sul Capixaba de Saúde Corporativa

Estado amplia vacinação contra o sarampo para crianças de 6 a 11 meses que forem viajar

Extensão do Pronto Atendimento Infantil atendeu 1,4 mil em dois meses

Nova sede da ESF Cidade Nova é inaugurada em Marataízes

Membros da Unimed Federação Espírito Santo percorrem obras do novo Hospital Unimed

Aeroporto e Boa Vista recebem mutirão contra mosquito da dengue neste sábado

Obras no trevo de acesso ao novo Hospital Unimed vão garantir mais segurança no trânsito da região

Unimed Sul Capixaba inaugura unidade de atendimento em Iconha 

Estudo revela que 80% de diabéticos podem ter doenças cardiovasculares

Governo do Estado entrega nove leitos de UTI no Hospital Padre Máximo, em Venda Nova do Imigrante

No Dia do Homem, endocrinologistas fazem campanha contra anabolizantes

Estudo mostra que adolescentes de faixas carentes estão mais obesos

Em reforma, Centro de Saúde de Cachoeiro mantém 300 atendimentos diários

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web