Home Saúde

Dia Nacional de Combate ao Fumo: esporte é usado como arma contra tabagismo

Nesta segunda (29) - Dia Nacional de Combate ao Fumo -, o Instituto Nacional do Câncer lança campanha #MostreAtitude: sem o cigarro sua vida ganha mais saúde

Por | 00.00.

Motivado pelos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) adotou o esporte como temática de conscientização para o Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado nesta segunda-feira (29). 

Com o slogan #MostreAtitude: sem o cigarro sua vida ganha mais saúde, a campanha quer atingir principalmente a faixa etária entre 13 e 35 anos. A ideia é que o tema estimule a prática de esportes e, assim, influencie na prevenção e na cessação do tabagismo, já que o hábito de fumar atrapalha a execução de atividades físicas.

Ao consumir produtos que contêm tabaco, os praticantes de esportes diminuem sua performance, principalmente em relação à respiração. Segundo o Inca, enquanto pratica esporte, quem fuma fica cansado com mais facilidade; sofre com falta de ar; tem resistência reduzida e poder de reação mais lento.

Os benefícios de parar de fumar são percebidos rapidamente, após duas horas sem cigarro, a nicotina deixa de ser detectada na corrente sanguínea, após oito horas, o nível de oxigênio normaliza-se e, até 24 horas depois, os pulmões funcionam melhor. Dois dias depois da última tragada, já é possível perceber melhor cheiros e sabores e, após um ano, o risco de infarto do miocárdio cai pela metade.

Dados do levantamento "Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico", do Ministério da Saúde, houve redução de 33,8% no número de fumantes adultos nos últimos 10 anos, sendo que 10,4% da população das capitais brasileiras mantêm o hábito de fumar. Em 2006, o percentual era de 15,7% para o conjunto das capitais.

Os homens permanecem como os que mais fazem uso do tabaco (12,8%), e as mulheres fumantes representam 8,3% do total da população feminina das capitais. Há 10 anos, esse número era de 20,3% entre os homens e de 12,8% entre as mulheres.

O Ministério da Saúde alerta que, apesar da redução do número de fumantes, as doenças causadas pelo tabagismo acarretam aproximadamente 200 mil mortes por ano no Brasil. O tabaco é um fator importante no desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis como câncer e problemas pulmonares e cardiovasculares. 




Fonte: Portal Brasil

 

 

 

Comentários Facebook


Mais Saúde

Programa de atendimento integral ao idoso da Unimed Sul Capixaba completa um ano

Faculdade Multivix firma parceria com Iases para atendimento odontológico de socioeducandos

Mitos e verdades sobre o Aedes aegypti

Médica dá dicas para uma boa noite de sono

Mais de 2 mil capixabas fazem tratamento contra doença renal crônica

Obras no novo Hospital Unimed Sul seguem em ritmo acelerado

Hospitais filantrópicos do ES pedem reajuste da tabela do SUS

Saúde debate serviços de hospitais filantrópicos

Superbactéria circulou no Brasil antes de ser descrita pela China

Unimed Sul cria Centro de Estudos para educação continuada e desenvolvimento das atividades científicas

São Joaquim recebe ação itinerante com consultas e exames

Pesquisa: 5,6 milhões de brasileiras não vão ao ginecologista

Hospital Unimed Sul registra baixos índices de infecção hospitalar, segundo Anaph e Anvisa

Cachoeiro investiu R$ 44 milhões em saúde pública em 2018

Santa Casa Cachoeiro faz campanha para reforçar estoque de sangue no carnaval

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web