Home Saúde

Hospitais precisam aumentar média de doadores de sangue

Por | 00.00.

Fotos: Divulgação

Ailton Weller

 

Com uma média de doações entre 15 a 35 por dia, quando o ideal seria de 60, segundo Gláucia Canal, enfermeira do banco de sangue, do hospital Evangélico, a instituição recorre ao ato voluntário para manter o atendimento aos pacientes. “Os estoques, que atendem a demanda de 16 municípios do sul do estado precisam de renovação constante, pois o prazo de validade do material coletado é curto, em alguns casos, como a plaqueta, é de apenas uma semana. Por isso precisamos sempre contar com a solidariedade da população”, apela.

 

Gláucia destacou o atendimento aos pacientes oncológicos que dependem da plaqueta (células sanguíneas produzidas na medula óssea e que atuam na formação de coágulos de sangue, a fim de impedir uma hemorragia sempre que houver necessidade), além das demais internações por problemas renais, cirurgias cardíacas, entre outros procedimentos. “A gente pede que a pessoa venha de forma espontânea e não apenas quando um parente se encontra em tratamento hospitalar. Existem casos que os familiares e amigos se mobilizam e muitos se juntam para doar, mas depois há um esvaziamento nas doações que, num determinado momento, servirão a qualquer paciente. Daí a necessidade de manter doadores ativos para que possamos fracionar o material coletado”, contou.

 

Santa Casa

 

Referência em ortopedia e traumatologia, no sul do estado, o hospital carece de doações dos tipos A negativo e O negativo segundo informou a enfermeira supervisora do banco de sangue, Cíntia Pimenta, que fez a mesma observação da responsável pelo setor no Heci. “Por vezes, as doações superam a demanda de acordo com o prazo de validade dos derivados do sangue (plasma, plaqueta e hemácia) que possuem curto tempo de ‘vida’. Em outros casos, existe a escassez de voluntários”, comentou.

 

“Devido as campanhas que realizamos nos últimos meses, o banco de sangue ficou estabilizado, mas no limite, pois a reposição é necessária diariamente. As doações não podem cair no esquecimento ou apenas quando a pessoa tem algum familiar precisando”, explicou.

 

Quem pode doar


Para doar sangue é preciso ter de 16 a 69 anos de idade, sendo que a primeira doação deve ser feita obrigatoriamente até os 60 anos. Menores de 18 anos só podem doar com a autorização dos responsáveis.


Caso o voluntário tenha almoçado, o procedimento deve ser feito após três horas. Doadores frequentes não podem deixar de obedecer ao intervalo entre cada doação, que deve ser de dois meses para homens e de três meses para mulheres.


O interessado deve apresentar um documento original com foto, preencher um cadastro com informações básicas e responder a um questionário. Em seguida, passará por triagem para examinar sinais vitais como pressão, pulso e temperatura.

 

Além da doação de sangue, os interessados podem doar plaquetas. Para ser doador de plaquetas, é necessária uma triagem de pré-requisitos específicos. Esta doação pode ser realizada uma vez por mês, diferentemente do tempo que deve ser respeitado entre as doações de sangue.

 

Serviço:

 

Heci: (28) 3526-6232

Santa Casa: (28) 2101-2123

 

Horário de atendimento
segunda a sexta-­feira de 07h00 às 16h00
sábados de 07h00 às 11h00

fonte http://www.jornalfato.com.br/

 

 

Comentários Facebook


Mais Saúde

Programa de atendimento integral ao idoso da Unimed Sul Capixaba completa um ano

Faculdade Multivix firma parceria com Iases para atendimento odontológico de socioeducandos

Mitos e verdades sobre o Aedes aegypti

Médica dá dicas para uma boa noite de sono

Mais de 2 mil capixabas fazem tratamento contra doença renal crônica

Obras no novo Hospital Unimed Sul seguem em ritmo acelerado

Hospitais filantrópicos do ES pedem reajuste da tabela do SUS

Saúde debate serviços de hospitais filantrópicos

Superbactéria circulou no Brasil antes de ser descrita pela China

Unimed Sul cria Centro de Estudos para educação continuada e desenvolvimento das atividades científicas

São Joaquim recebe ação itinerante com consultas e exames

Pesquisa: 5,6 milhões de brasileiras não vão ao ginecologista

Hospital Unimed Sul registra baixos índices de infecção hospitalar, segundo Anaph e Anvisa

Cachoeiro investiu R$ 44 milhões em saúde pública em 2018

Santa Casa Cachoeiro faz campanha para reforçar estoque de sangue no carnaval

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web