Home Cidades

Mulheres no comando: secretárias são maioria na chefia do poder executivo de Guarapari

Por | 13.03.2018

 

Para fechar a semana do dia internacional da mulher, não podíamos deixar de mostrar aquelas que comandam o poder executivo na cidade de Guarapari. De acordo com o senso do IBGE divulgado na última quarta-feira (07), no Brasil apenas 38% dos cargos de chefia são ocupados por mulheres.

Mas em Guarapari essa realidade nas se aplica. Aqui elas ocupam a maioria dos cargos de confiança da administração municipal, de 15 secretarias, 10 são regidas por mulheres.

Para discutir sobre o papel da mulher na sociedade, o Portal 27 reuniu a maioria das secretárias que regem o poder executivo, que falam com orgulho das conquistas e dos desafios da jornada feminina.

Cláudia Martins.

Cláudia Martins. A secretária de Postura e Trânsito, fala que, em um cargo fiscalizatório, a todo o momento, por ser mulher tem sua competência a prova. “A secretaria de trânsito era um trabalho muito desafiador, você tem que ter o pulso muito firme, fazer cumprir as regras legais. Hoje eu estou na Postura e Trânsito, então ainda exerço papel de fiscalização e o desafio continua. Como mulher, é complicado porque sempre existe a questão de se confiar se posicionamento é mesmo firme. Se fosse um homem, ele não precisaria estar sempre provando que ele realente é competente”, diz.

Que comenta que a mulher tem características que a tornam especial. “A mulher é muito dedicada, gosta sempre de fazer tudo muito certo, muito organizado, estra sempre tomando precauções, e elas sempre se dispõem de muito emprenho. A equipe é praticamente toda feminina, e todas muito competentes, sempre preocupadas em fazer o melhor para o município”, ressalta Cláudia.

Tereza Cristina

Tereza Cristina. A Secretária de Meio Ambiente e Agricultura conta que já passou por muitos desafios em seus 30 anos de experiência pública por ser uma mulher pioneira em alguns cargos onde já trabalhou. “Fui a primeira mulher a assumir um chefia regional no IDAF em Nova Venécia, fui a primeira mulher vereadora no município de Alegre, então eu tinha que me superar, a cobrança por ser mulher, por ser a primeira. Os desafios vieram, mas quando você se propõem a realizar sua missão, Deus vai te capacitando”, conta Tereza Cristina.

Milena Ferrari

Milena Ferrari. A secretária de Análise e Aprovação de Projetos conta que não é fácil chefiar um ambiente de maioria masculina. “A minha pasta é uma secretaria que tem um convívio com muitos homens, que lida com projetos, obras. É um ambiente muito masculino. Para a gente se impor nesses ambientes não é fácil, existe uma dificuldade do próprio mercado de trabalho de absorver mulheres nessa posição. Mas nós temos força e vamos superando isso a cada dia”, garante Milena.

Geórgia Gonçalves.

Geórgia Gonçalves. Para a secretária de Comunicação as mulheres enfrentam barreiras diariamente para provar que são tão competentes como os homens. “É um desafio imenso você ser mulher, e você ter competência, mas receber críticas de todo lado. O preconceito é muito grande, não aqui na prefeitura porque é um ambiente com muitas mulheres, mas no mercado de trabalho de uma forma geral, com muitos homens,  ele acreditam que são mais competentes para estar ali, então você é mais observada do que os outros, somente por ser mulher”, lamenta.

 

Mas se diz feliz em presenciar o início da mudança. “O desafio é enorme, mais é muito bom, a gente vê esse histórico de as mulheres que não ocupavam cargos de chefia e ver essa realidade se transformando é muito gratificante”, ressalta Geórgia.

Lúcia Roriz

Lúcia Roriz. Para a Procuradora Geral do município, a luta pela igualdades de gêneros já trouxe resultados. Ela fala que no caso de sua posição, não é discriminada por ser mulher.  “A mulher que trabalha, seu histórico de vida, ajuda a dar essa sensibilidade à um cargo de direção. No meu caso não vejo diferença. A minha postura é de trabalhadora, de conduzir a situação de forma correta. Trato as pessoas bem, com respeito, mas me imponho também”, afirma.

E fala que as mulheres, que ainda não estão em situação de igualdade, devem batalhar para mudar essas situação. “As mulheres estão com tudo na mão, nós somos um sexo muito forte, nós já aguentamos tantas coisas. Então eu digo para mulheres: sejam fortes, estudem e vão a luta que vocês vão vencer. Assim como eu, graças a Deus, venci”, diz Lúcia.

Shirley Corrêa

Shirley Corrêa. A secretária de Assistência Social fala que as mulheres tem características que as diferenciam, e que o momento é de luta para que elas sejam reconhecidas. “Nós temos um olhar mais humanizado para lidar com pessoas, somos dedicadas, organizadas, batalhadoras. Temos que investir em qualificação, nos dedicar, correr atrás mesmo. Todo esse esforço será reconhecido e valorizado”, afirma Shirley.

 

Sônia Meriguete

Sônia Meriguete. A secretária de Educação, em seu trabalho, diz que não encontra dificuldades pela questão de gênero. Ela dá um conselho para que a demais mulheres também consigam garantir seu direito à igualdade. “Que as mulheres estudem, lutem pela independência financeira e busquem ocupar o seu espaço no mercado de trabalho”, conclui Sônia.

 fonte https://www.portal27.com.br

 

 

Comentários Facebook


É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias. Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web