Pesquisa

Procon de Cachoeiro divulga preços de materiais escolares

 A lista completa está disponível na página virtual do Procon, no portal da prefeitura

Por | 08.01.2019

O Procon de Cachoeiro divulgou, nesta segunda-feira (7), um levantamento com os valores dos 39 itens mais requisitados nas listas de materiais escolares. Foram pesquisadas, ao todo, oito papelarias do município. A conta no lugar mais barato ficou em R$ 128,09, e no mais caro, em R$ 280,90.

Um dos itens com maior diferença é o fichário, que custa de R$ 18,90 a R$ 66,95. Outros materiais que requerem atenção do consumidor, por exemplo, são a fita adesiva (que varia de R$ 0,50 a R$ 4,30), o apontador de lápis (que varia de R$ 0,30 a R$ 2,00) e a borracha bicolor (que varia de R$ 0,70 a R$ 2,49).

“Nosso intuito é buscar e reunir informações essenciais para pais e responsáveis compararem valores e, assim, adquirirem itens escolares de acordo com sua realidade orçamentária”, destaca o coordenador do Procon Municipal, Rogerio Athayde.

lista completa está disponível na página virtual do Procon de Cachoeiro, hospedada no portal da prefeitura (www.cachoeiro.es.gov.br). Para acessá-la, basta clicar no menu ‘Secretaria’, depois em ‘Procon’ e, por fim, ‘Pesquisa de Preços’. 

Outras dicas

A compra de material escolar requer alguns cuidados para preservar a saúde do seu bolso. Confira:

- Antes de sair às compras, verifique quais os itens que restaram do período letivo anterior e avalie a possibilidade de reaproveitá-los. Em seguida, faça uma pesquisa de preços em diferentes estabelecimentos;

- Algumas lojas concedem descontos para compras em grandes quantidades, portanto, sempre que possível, reúna um grupo de consumidores e discuta sobre essa possibilidade com os estabelecimentos;

- Fique de olho nas embalagens de materiais como colas, tintas, pincéis atômicos e fitas adesivas, entre outros, que devem conter informações claras, precisas e em língua portuguesa a respeito do fabricante, importador, composição, condições de armazenagem, prazo de validade e se apresentam algum risco ao consumidor;

- Evite levar as crianças para fazer as compras; produtos com personagens, logotipos e acessórios licenciados, os favoritos de crianças e adolescentes, geralmente são mais caros;

- Evite comprar em ambulantes. Apesar dos preços mais baixos, o comércio informal não fornece nota fiscal, o que pode dificultar a troca ou assistência do produto se houver necessidade;

- O Procon alerta que as escolas não podem solicitar a compra de materiais de uso coletivo, tais como material de higiene e limpeza ou taxas para suprir despesas com água, luz e telefone. Nem exigir a aquisição de produtos de marca específica; determinar a loja ou livraria onde o material deve ser comprado.

 

 

Comentários Facebook


Mais Cidades

Rua do bairro Coramara é recuperada após conjunto de obras

Prefeitura de Cachoeiro repassou R$ 6 milhões a entidades sociais em dois anos e meio

Ruas em cinco regiões de Cachoeiro são preparadas para pavimentação

Prefeitura de Presidente Kennedy reduz frota e economiza com combustível e aluguel de carros

Prefeitura de Cachoeiro entrega obras e autoriza construção de Cras em Itaoca

Victor Coelho autoriza início de obras em 19 ruas do bairro Gilson Carone

Palestra sobre educação étnico-racial tem inscrições abertas

Sala do Empreendedor vai ao bairro Aquidaban

Condutores são orientados sobre estacionamento em local proibido

Em Cachoeiro, praça de Gironda ganha reforma, academia e brinquedos

Gestão fiscal: Cachoeiro ganha nota máxima do Tesouro Nacional

Cachoeiro inicia implantação do estacionamento rotativo

Prefeitura de Presidente Kennedy inicia obras de terraplanagem para construção do novo PAM

Localidade de Santa Fé recebe serviços de drenagem

Reuniões do Orçamento Participativo começam neste mês em Venda Nova do Imigrante

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web