Alerta!

Idaf orienta sobre importância dos alimentos inspecionados

Você sabia que produtos de origem animal (carne, peixe, ovos, mel, leite e derivados) devem, obrigatoriamente, ter sua produção inspecionada para garantir as condições higiênico-sanitárias desses alimentos?

Por | 18.12.2018

Você sabia que produtos de origem animal (carne, peixe, ovos, mel, leite e derivados) devem, obrigatoriamente, ter sua produção inspecionada para garantir as condições higiênico-sanitárias desses alimentos? Eles estão presentes em grande parte das refeições, por isso, é essencial estar atento, pois, se processados de forma inadequada, podem acarretar graves problemas à saúde.

O Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) explica que o funcionamento de toda indústria de produtos de origem animal no Brasil só é permitido com o registro no serviço de inspeção oficial, que pode ser federal, estadual ou municipal. A fiscalização desses locais é baseada em normas, padrões de higiene e leis, que visam eliminar ou minimizar riscos de contaminação durante a industrialização e manipulação desses alimentos, pois em qualquer fase pode ocorrer contaminação por microrganismos, toxinas, parasitas, substâncias químicas ou outros agentes nocivos à saúde.

Inspeção sanitária

A inspeção sanitária dos produtos de origem animal é realizada por médicos-veterinários. Nos abatedouros, esses profissionais são responsáveis pela análise clínica dos animais, ainda nos currais (a chamada “inspeção ante-mortem”). Essa avaliação prévia é necessária, pois algumas doenças, como a raiva e a Encefalopatia Espongiforme Bovina (conhecida como “doença da vaca louca”) - que podem ser transmitidas aos seres humanos -, só podem ser identificadas com o animal vivo por meio da sintomatologia clínica.

Após o abate, é feita uma nova avaliação (inspeção post-mortem) das partes internas nos animais (vísceras, gânglios, entre outras) a fim de identificar lesões características de doenças, como brucelose, tuberculose e cisticercose, por exemplo.

A compra

Nos mercados, esses produtos devem ser identificados com o carimbo do serviço de inspeção oficial, indicando que foram devidamente inspecionados em todo o processo de fabricação.

A denúncia de comercialização de produtos clandestinos deve ser feita à Vigilância Sanitária municipal. Já as denúncias de processamento clandestino (abate, produção de linguiça, queijo...) podem ser encaminhadas ao Idaf por meio da Ouvidoria do Governo (www.ouvidoria.es.gov.br ou 0800 022 1117). O responsável pode ser autuado e os produtos serão encaminhados para destruição.

Espírito Santo

O Espírito Santo conta com 64 estabelecimentos registrados no Serviço de Inspeção Estadual (SIE/Idaf), sendo 42 do segmento de carnes, dois de pescado, três de ovos, três de produtos de abelha e 14 de leite.

Existem ainda quatro estabelecimentos registrados no Serviço de Inspeção Agroindustrial de Pequeno Porte (Siapp/Idaf), que não prevê abate, mas processamento de produtos de origem animal.

 

 

Comentários Facebook


Mais Gastronomia

Em Venda Nova do Imigrante, receitas de família viram restaurante

Iriri: festival de cervejas artesanais no feriado de 15 de novembro

Com gosto ‘muito bom’, Café Franco Nero ganha mercado em Cachoeiro  

Pesquisadores desenvolvem sorvete probiótico à base de leite de cabra

Correios promove lançamento de Emissão Postal Especial que destaca a moqueca capixaba

Sabores de Boteco irá fomentar gastronomia em Anchieta

Lançado Giro Gastronômico da Cachoeiro Stone Fair 2019

Lançamento do Giro Gastronômico da Cachoeiro Stone Fair será nesta terça (20)

Giro Gastronômico da Cachoeiro Stone Fair será lançado no próximo dia 20

Pingariri: evento gastronômico para movimentar Iriri

Giro Gastronômico do Rei 2019 começa nesta quarta-feira

Conheça os pratos participantes do Giro Gastronômico do Rei, em Cachoeiro

Semana Santa terá Festival Gastronômico de Frutos do Mar, em Itapemirim

Idaf orienta sobre importância dos alimentos inspecionados

Feira tem pratos de chef a preços populares, em Cachoeiro

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web