Home Saúde

Mamografias periódicas evitam mortes por câncer de mama, diz estudo

O estudo, publicado por uma revista científica internacional, está sendo destacado pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) para lembrar o Dia da Mamografia, a ser comemorado amanhã (5).

Por | 04.02.2019

Agência Brasil  

Um estudo sueco mostrou que mulheres com câncer de mama que faziam a mamografia periodicamente apresentaram redução de 60% na taxa de mortalidade – 10 anos após o diagnóstico – em comparação àquelas que não faziam o exame regularmente. Segundo o levantamento, a redução da mortalidade foi de 47% em 20 anos após o diagnóstico, usando a mesma base de comparação. 

O estudo, publicado por uma revista científica internacional, está sendo destacado pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) para lembrar o Dia da Mamografia, a ser comemorado amanhã (5).

A entidade chama a atenção das mulheres para a necessidade de fazer o exame com frequência, já que a pesquisa indicou que as mulheres que fizeram o rastreamento tiveram a vantagem adicional da detecção precoce e receberam benefícios muito maiores, como terapias menos agressivas e menos mutiladoras.

“A diferença é atribuída à detecção precoce e ao tratamento em uma fase inicial da história natural do câncer de mama entre as mulheres que realizavam mamografia regularmente. Embora tenha sido dada muita atenção aos potenciais danos da participação de rastreamento mamográfico regular, pouca atenção foi dada aos danos de não participar do rastreamento regular”, disse o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), Antonio Frasson. 

Segundo Frasson, o maior dano por não fazer a mamografia regularmente é o aumento significativo do risco de morte, além de aumentar a possibilidade de a mulher ter um câncer de mama avançado, com necessidade de cirurgias mais extensas, com mais riscos e radioterapia e quimioterapia mais agressivas. 

"Essas mulheres experimentam efeitos físicos e cognitivos adversos significativos e duradouros. Para cada morte por câncer de mama evitada pelo rastreamento mamográfico, uma mulher será poupada dos estágios terminais da doença e ganhará uma média de 16,5 anos de vida”, explicou.

A SBM recomenda que a mamografia seja feita anualmente para as mulheres a partir dos 40 anos.

 

 

Comentários Facebook


Mais Saúde

Espírito Santo tem mais de 6 mil armadilhas para identificar locais com infestação do Aedes aegypt

Novos conselheiros da Santa Casa são escolhidos em Assembleia

Projeto busca reduzir judicialização na saúde capixaba

Unimed Sul Capixaba lança campanha para incentivar o parto adequado

Cachoeiro tem 35 locais para vacinar contra a gripe

Prefeitura de Cachoeiro tem vagas para contratação imediata de 14 médicos

Conheça as cinco propostas do Governo Casagrande para modernizar a gestão da saúde no Espírito Santo

Secretaria de Saúde entrega novos aparelhos de anestesia em Itapemirim

UTI do Hospital Unimed Sul recebe certificação por desempenho e qualidade no atendimento

Vacina contra gripe disponível em 35 locais em Cachoeiro

Unidades de saúde de Cachoeiro vão ganhar ar-condicionado e mobiliário novo

Unimed Sul Capixaba promove Oficina de Lenços para pacientes com câncer

Em Cachoeiro, vacinação contra gripe pode ser agendada pela internet

Unimed Sul Capixaba inicia intercâmbio com instituição referência para participar de estudos clínicos

Fórum debate acesso a tratamento de câncer em Cachoeiro e região

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web