Home Geral

CNI: reforma da Previdência abre espaço para queda dos juros

Segundo o comunicado, a estabilidade do dólar e a lenta recuperação da economia também contribuíram para a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom).

Por | 07.02.2019

Agência Brasil

A aprovação das reformas estruturais, principalmente a da Previdência Social, abre caminho para a redução dos juros básicos da economia no médio prazo. A avaliação é da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Em nota, a entidade informou que a decisão do Banco Central de manter a taxa básica de juros da economia (Selic) em 6,5% ao ano não surpreendeu. Isso porque o comportamento dos preços indica que a inflação oficial vai fechar o ano abaixo do centro da meta, de 4,25%.

Segundo o comunicado, a estabilidade do dólar e a lenta recuperação da economia também contribuíram para a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom).

A nota da CNI destaca ainda que, somente com mudanças estruturais na economia, os juros podem voltar a ser reduzidos para estimular os investimentos das empresas e o consumo das famílias. A confederação defende políticas que diminuam o gasto público e promovam a recuperação econômica sustentável.

Fiesp, FecomercioSP e Força Sindical

Ao comentar a manutenção da Selic em6,5% ao ano, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) cobrou a redução do custo do crédito para as empresas e famílias. "Vamos completar um ano com a Selic em seu patamar histórico mais baixo, porém o custo do crédito para as empresas e famílias continua bastante elevado, e o cheque especial, em particular, continua acima de 300% ao ano”, diz nota da entidade.

Para a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), a decisão do Banco Central foi correta.  “A medida é totalmente justificada para o momento, apesar de a inflação se mostrar mais controlada do que o previsto; o câmbio, um pouco mais valorizado; e de haver boas perspectivas para aprovação de reformas”.

A Força Sindical, porém, afirma que a manutenção da Selic em 6,5% não ajuda a combater de forma eficaz o desemprego. “A taxa Selic continua extremamente proibitiva e, mais uma vez, o Brasil, em razão do excessivo conservadorismo daqueles que dirigem a economia do país, deixa escapar a oportunidade de apostar todas as suas fichas no setor produtivo”, diz nota da entidade.

Firjan: decisão acertada

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) considerou acertada a decisão do Copom, que manteve a taxa básica de juros em 6,50% ao ano.

“O quadro econômico brasileiro permanece inalterado: baixo crescimento, elevado desemprego e inflação dentro das metas estabelecidas”, afirma nota da Firjan, que ressalta o papel relevante da agenda de reformas no desempenho da economia neste e nos próximos anos.

“A reforma da Previdência é especialmente necessária ao equilíbrio das contas públicas e à retomada do crescimento com inflação e juros baixos”, conclui a nota.

 

 

Comentários Facebook


Mais Geral

Santa Casa de Castelo faz rifa de moto para ajudar em obra de reforma 

Cinco pessoas presas no Caparaó após operação do GAECO

Construção religiosa mais antiga do ES, Capela de Santa Luzia será restaurada pelo Governo do Estado

Curso gratuito sobre educação étnico-racial oferece 100 vagas

Desconto de 15% no IPTU só até a semana que vem

Cachoeiro lança campanha de nota fiscal premiada para produtores rurais

Cachoeiro abre inscrições para candidatos a conselheiros tutelares

Receita Estadual atua contra a circulação irregular de cerveja e apreende mais de 30 mil litros

10 toneladas de peixe são distribuídas em Itapemirim

Mais da metade dos brasileiros está acima do peso

Novas linhas com extensão até faculdade no bairro Monte Belo, em Cachoeiro

Empresas do setor de rochas ornamentais já realizam análises de materiais no ES

Especialistas discutem sobre os apelos excessivos da publicidade infantil

Transporte: mais horários para a linha Praça da Bandeira

Marataízes participará da maior feira do agronegócio do Espírito Santo - ExpoSul 2019

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web