Home Geral

Caixa aumenta valor de imóveis financiados pelo Minha Casa Minha Vida

Mudanças valem para municípios de até 50 mil habitantes

Por | 09.03.2019

Agência Brasil  

As famílias de baixa renda de cidades de até 50 mil habitantes terão acesso a mais financiamentos do Minha Casa Minha Vida (MCMV). O banco aumentou o valor de imóveis financiados para as faixas 2 e 3 do programa habitacional. Paralelamente, a instituição elevou o valor do subsídio para a faixa 2 em cidades de até 20 mil habitantes.

O teto de imóveis para as faixas 2 e 3 do MCMV foi ampliado. Para as cidades de 20 mil a 50 mil habitantes, o valor máximo do imóvel a ser financiado passou de R$ 110 mil para R$ 145 mil no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em São Paulo; de R$ 105 mil para R$ 140 mil no Sul, no Espírito Santo e em Minas Gerais; de R$ 105 mil para R$ 135 mil em Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul; e de R$ 100 mil para R$ 130 mil no Norte e no Nordeste.

Nas cidades com menos de 20 mil habitantes, o teto do financiamento passou de R$ 95 mil em todas as regiões para os mesmos valores (escalonados por regiões) dos municípios com até 50 mil moradores.

O banco também aumentou o valor do subsídio para financiamentos da faixa 2 em cidades de até 20 mil habitantes. O subsídio passou de R$ 10.545 para R$ 11,6 mil para os mutuários com renda familiar bruta de até R$ 1,8 mil.

Para as cidades de 20 mil a 50 mil habitantes, o valor do subsídio na faixa 2 não mudou, podendo chegar a R$ 29 mil, dependendo da região do imóvel. Os subsídios para a faixa 1,5 do Minha Casa Minha Vida também não sofreram alteração, com valor máximo de R$ 47,5 mil para famílias que ganhem até R$ 1,2 mil.

As novas regras foram publicadas hoje em instrução normativa do Ministério do Desenvolvimento Regional. Em nota, a Caixa Econômica Federal informou que as novas condições permitirão ao banco consumir todo o orçamento disponível para este ano no financiamento de moradias para a população de baixa renda.

“Com essas novas condições, a Caixa está com capacidade plena para atender a demanda por moradia no mercado imobiliário e aplicar todo o orçamento disponível para 2019, promovendo o aquecimento da economia, gerando empregos e rendas, além de contribuir para a redução do déficit habitacional do país”, destacou o banco no comunicado.

 

 

Comentários Facebook


Mais Geral

Statkraft Energias Renováveis já trabalha para estruturar seu programa de recuperação de área degradada

BRK Ambiental participa do Movimento Maio Amarelo

Secretaria de Fazenda de Cachoeiro comemora Dia do Contribuinte nesta sexta (24)

MP notifica empresa de Alegre para apresentar Programa de Recuperação de Área Degradada

Espírito Santo terá programa de qualificação para setor turístico

Detran|ES e Ipem-ES em parceria para otimizar fiscalização de veículos a gás

Governo do Estado decreta ponto facultativo para esta quinta-feira (23)

Detran|ES divulga os selecionados da 1ª etapa de inscrições do CNH Social 2019

Mais de 70% da violência sexual contra crianças ocorre dentro de casa

Cachoeiro recebe exposição de cavalos Mangalarga Marchador

CNH Social 2019 atrai mais de 56 mil pessoas

Governo do Estado sinaliza mais 10 municípios com foco na redução de acidente

Findes e Assembleia debatem desafios e oportunidades no ES

BRK Ambiental surpreende funcionárias mães

Comarca de Castelo completa 1 ano com audiências de mediação judicial para solucionar conflitos

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web