Home Geral

Caixa aumenta valor de imóveis financiados pelo Minha Casa Minha Vida

Mudanças valem para municípios de até 50 mil habitantes

Por | 09.03.2019

Agência Brasil  

As famílias de baixa renda de cidades de até 50 mil habitantes terão acesso a mais financiamentos do Minha Casa Minha Vida (MCMV). O banco aumentou o valor de imóveis financiados para as faixas 2 e 3 do programa habitacional. Paralelamente, a instituição elevou o valor do subsídio para a faixa 2 em cidades de até 20 mil habitantes.

O teto de imóveis para as faixas 2 e 3 do MCMV foi ampliado. Para as cidades de 20 mil a 50 mil habitantes, o valor máximo do imóvel a ser financiado passou de R$ 110 mil para R$ 145 mil no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em São Paulo; de R$ 105 mil para R$ 140 mil no Sul, no Espírito Santo e em Minas Gerais; de R$ 105 mil para R$ 135 mil em Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul; e de R$ 100 mil para R$ 130 mil no Norte e no Nordeste.

Nas cidades com menos de 20 mil habitantes, o teto do financiamento passou de R$ 95 mil em todas as regiões para os mesmos valores (escalonados por regiões) dos municípios com até 50 mil moradores.

O banco também aumentou o valor do subsídio para financiamentos da faixa 2 em cidades de até 20 mil habitantes. O subsídio passou de R$ 10.545 para R$ 11,6 mil para os mutuários com renda familiar bruta de até R$ 1,8 mil.

Para as cidades de 20 mil a 50 mil habitantes, o valor do subsídio na faixa 2 não mudou, podendo chegar a R$ 29 mil, dependendo da região do imóvel. Os subsídios para a faixa 1,5 do Minha Casa Minha Vida também não sofreram alteração, com valor máximo de R$ 47,5 mil para famílias que ganhem até R$ 1,2 mil.

As novas regras foram publicadas hoje em instrução normativa do Ministério do Desenvolvimento Regional. Em nota, a Caixa Econômica Federal informou que as novas condições permitirão ao banco consumir todo o orçamento disponível para este ano no financiamento de moradias para a população de baixa renda.

“Com essas novas condições, a Caixa está com capacidade plena para atender a demanda por moradia no mercado imobiliário e aplicar todo o orçamento disponível para 2019, promovendo o aquecimento da economia, gerando empregos e rendas, além de contribuir para a redução do déficit habitacional do país”, destacou o banco no comunicado.

 

 

Comentários Facebook


Mais Geral

Júri popular de Piúma condena a 38 anos de reclusão homem que matou a ex-companheira

Governo anuncia investimentos, gestão integrada e planos para os rios do Espírito Santo

Pontes de Burarama, São Vicente e Itaoca serão duplicadas e revitalizadas

Cinco ex-governadores do Rio foram presos nos últimos três anos

Esperada há anos, Unidade Frigorífica de Guaçuí começa funcionar

ExpoSul Rural 2019: inscrições abertas para talk show sobre agroindústrias

Governo do Estado destina R$ 51 milhões para os munícípios

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos

A cada 60 minutos, uma criança ou adolescente morre por arma de fogo

Cachoeiro promoveu primeira audiência pública para revisão do PDM

Falta saneamento básico para 2 bilhões de pessoas no mundo

Justiça de Venda Nova do Imigrante diz que homem que teve celular danificado após contato com a chuva deve receber novo aparelho da empresa

Lava Jato completa cinco anos com 155 pessoas condenadas

Governo do Estado assina convênio para recuperação da orla de Piúma

Estado registra aumento no número de ocupados e tem média superior a nacional

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web