Home Cidades

Rodas de conversa ajudam mulheres a identificar casos de abuso e violência

  Um dos recursos que serão usados nas atividades é o violentômetro

Por | 12.03.2019

Com o objetivo de evitar novas situações de violência contra a mulher, a prefeitura de Cachoeiro realiza, nesta semana, rodas de conversa em Centros de Referência de Assistência Social (Cras) do município. Terça (12), quarta (13) e quinta-feira (14), psicólogas e especialistas na área vão conversar, explicar e ajudar a identificar casos de abuso e assédio.

As primeiras rodas, nesta terça, acontecerão no Cras do bairro Zumbi, às 9h e às 14h, com a psicóloga Sara Thompson. Quarta (13), o evento acontece às 9h, no Cras do Jardim Itapemirim, com a especialista Tatiane Mareto. 

Já na quinta (14), há três encontros: no Cras do distrito de Burarama, às 9h, e no de Itaoca, às 14h – ambos com a especialista Naiara Maria Batista. O Cras do Alto União recebe a atividade na mesma data, às 14h, e conta com a participação da psicóloga Giovana Carrozzino Werneck, especialista em Terapia Comportamental e Políticas Públicas em Gênero.

Com as rodas, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes) coloca o assunto em pauta de uma maneira descontraída e dá voz às mulheres de modo mais informal do que com as convencionais palestras. “É um bate-papo em que as participantes podem desabafar sobre suas realidades e compartilhar experiências. Uma ocasião em que elas mesmas identificam relações de violência”, explica a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Márcia Bezerra. 

As atividades são voltadas a mulheres das famílias acompanhadas pelos Cras, mas qualquer pessoa interessada pode participar. 

Violentômetro” ajuda a calcular perigo

Um dos materiais que vem sendo trabalhados pela Semdes em ocasiões em que se trata sobre o assunto é o “violentômetro” - uma espécie de medidor da violência contra a mulher, que as ajuda a identificar padrões abusivos de seus companheiros e saber quando tomar atitude. Os graus dessa espécie de termômetro vão desde falas ofensivas e chantagens até a mutilação. 

“Algumas mulheres, antes de participarem, nem se davam conta de serem vítimas de abusos ou assédio, pois há quem ainda acredite que a violência está só no ato de bater, machucar ou mutilar. É um instrumento para a mulher perceber os perigos”, salienta a secretária.

Uma servidora pública, de 60 anos, que prefere não se identificar, destaca a importância de atividades como essas. Vítima de violência doméstica, ela conta que já narrou a própria história em uma palestra sobre o assunto e como foi difícil se libertar do ciclo e procurar ajuda. “É algo que marca não só a vida da mulher, mas toda a família. Eu sempre me culpava pelo que sofria, como se tivesse dado motivo, mas a violência está no abusador e não no abusado. A culpa não é delas”, frisa. 

 

 

 

Comentários Facebook


Mais Cidades

Lei da Ficha Limpa criada pela Prefeitura de Cachoeiro completa 19 meses

Aos 98 anos, Mercado Municipal será revitalizado

Ações em comemoração ao Dia da Água começam nesta quinta, em Cachoeiro

Praça, avenida e unidade de saúde recebem serviços de paisagismo

Que tal passeios que envolvem história e belezas naturais de Venda Nova do Imigrante?

Em Cachoeiro, programa de hora-máquina reduz custos de produtores rurais

Farmácia Cidadã Estadual em Venda Nova do Imigrante tem novo endereço

Prefeitura de Marataizes dá 15% de descontos para quem pagar o IPTU em cota única

Unidade de Saúde do Frade, em Itapemirim, fica pronta em 180 dias

Transporte em Cachoeiro: mudança em horários da linha de Cobiça

Subestação de Castelo beneficia Conceição do Castelo, Venda Nova do Imigrante, Muniz Freire, Ibatiba, Iúna, Irupi e Ibitirama

Prefeitura de Cachoeiro se prepara para atualizar o PDM

Cachoeiro divulga agenda para comemoração do Dia da Água

Mural artístico e plantio de mudas revitalizam rua de Cachoeiro

Governador participa da inauguração de subestação de energia em Castelo

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web