Em Itapemirim

Projeto Papa Pilhas nas escolas retira mais de 1.500 pilhas e baterias do meio ambiente

Os materiais das pilhas e baterias contêm substâncias que, quando descartados em locais inadequados, são capazes de acarretar problemas ao Meio Ambiente

Por | 22.05.2019

Uma parceria entre as Secretarias Municipais de Meio Ambiente, Educação e Saúde de Itapemirim implantou no ano de 2018, projeto “Papa Pilhas”, de preservação ao meio ambiente, que visa fazer o descarte correto para pilhas e baterias que não estão mais em uso. A ação está sendo desenvolvida pelos servidores das três secretarias e já recolheram mais de 1.500 pilhas e baterias somente este ano.

Segundo o Secretário Municipal de Meio Ambiente, Jean Paz Roza, técnicos da Secretaria de Meio Ambiente confeccionaram e instalaram os “Papas Pilhas em oito escolas da rede municipal de ensino e nos postos municipais de saúde, ofertando a chance para alunos e moradores descartarem suas pilhas e baterias conforme a demanda de cada entidade.

“O objetivo foi alcançado, pois vimos que com incentivo e com um local para ser feito o descarte, o cidadão consciente faz o seu papel, descartando corretamente suas pilhas e baterias, fazendo com que o projeto dê resultado. Agora temos que ampliar esse projeto, para que resultados ainda maiores possam serem alcançados”, informa o secretário.

Os materiais das pilhas e baterias contêm substâncias que, quando descartados em locais inadequados, são capazes de acarretar problemas ao Meio Ambiente, tanto ao solo quanto a água, além de poder causar graves doenças na população. O projeto “Papa Pilhas” é uma inovação, pois tem como principal característica levar essa importante informação de forma lúdica de filho para pai, criando um personagem através de galões de água vencidos, que é o “Papa Pilhas”.

Muita gente ainda tem dúvidas de como descartar esse tipo de lixo corretamente, e os Papa Pilhas estão sendo colocados em pontos estratégicos nas escolas para incentivar as crianças a levarem esse tipo de lixo para serem descartados da forma correta. Pilhas e baterias podem levar de 100 a 500 anos para se decompor na natureza, além de poluir o meio ambiente.

Esse trabalho será a cada dia mais intensificado com mais coletores instalados e campanha de educação ambiental. Essas 1.500 pilhas e baterias serão agora destinado a empresa especializada para fazer a destinação final desses resíduos. O município já disponibiliza as Unidades Básicas de Saúde para a população descartarem pilhas, baterias e outros lixos eletrônicos numa ação que já vem trazendo grandes resultados para o município.

 

 

Comentários Facebook


Mais Meio Ambiente

Ambientalista diz que Cachoeiro tem 80% de esgoto tratado

Primavera começa, mas chuvas devem se fixar apenas em outubro

Temperatura média do planeta pode subir 3,4°C até 2100

Projeto Tamar anuncia marca de 40 milhões de tartarugas protegidas

Programa Cuidar Mais reforça ideia de preservação de recursos naturais em Cachoeiro

Rede Brasil do Pacto Global e BRK Ambiental lançam vídeos sobre os impactos do saneamento básico

Cachoeiro recolhe quantidade expressiva de pilhas e baterias de celular usadas

Ministro do Meio Ambiente é internado em Brasília

Coleta de pilhas e baterias de celular começa nesta quarta, em Cachoeiro

Pinguins começam a chegar ao Espírito Santo

Governo assina novo Acordo de Cooperação para revitalização da Bacia do Rio Itapemirim

Bolsonaro diz que Alemanha tem a aprender com o Brasil na área ambiental

Crítico em muitas regiões, índice de perdas de água em Cachoeiro é um dos melhores do país

BRK Ambiental promove encontros para orientar comunidades do entorno de córregos

Clientes e funcionários da BRK Ambiental recebem mudas e plantam um futuro melhor

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web