Home Política

Baixo custo da Assembleia Legislativa do ES contrasta com parlamentos vizinhos

“Altos gastos” para o funcionamento das Assembleias do RJ e MG foram tema de editorial publicado em jornal de circulação nacional nesta segunda (10)

Por | 11.06.2019

Foto: Tati Beling

O baixo custo da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), considerada a segunda mais econômica do Brasil conforme pesquisa do jornal Folha de São Paulo, contrasta com os gastos de parlamentos de estados vizinhos, como Rio de Janeiro e de Minas Gerais.

Os “altos gastos” para o funcionamento dos gabinetes das Assembleias do RJ e MG foram tema de editorial publicado pelo jornal carioca O Globo na edição desta segunda-feira (10).

Sobre o Parlamento fluminense, o jornal informa que mantém cerca de 70 funcionários para cada parlamentar, com a existência de cinco mil servidores inscritos na folha de pagamento, a um custo médio de R$ 10,8 milhões anuais por deputado. A despesa anual com os servidores, conforme o editorial, ultrapassa R$ 762 milhões. 

Ainda de acordo com O Globo, as despesas do Legislativo fluminense são pouco conhecidas. Sabe-se que a Assembleia e seu órgão assessor, o Tribunal de Contas, custam R$ 1,2 bilhão por ano aos cofres públicos.

Minas Gerais

O jornal afirma também que Minas Gerais, “outro Estado falido”, abriga a Assembleia mais cara do País: custa R$ 1,6 bilhão — o equivalente a 15% do deficit orçamentário estadual deste ano. Em São Paulo, por exemplo, 77 deputados passaram os últimos três anos discutindo 2,2 mil projetos de lei.

A publicação diz ainda no editorial que a transparência nos gastos e o empenho, com vigor, no debate de alternativas para saída da crise deveriam ser itens prioritários das pautas das assembleias legislativas.

Ales sai na frente

O presidente da Ales, deputado Erick Musso (PRB), ao avaliar o editorial de O Globo afirmou que fica feliz pelo fato de a Casa ter se tornado um dos parlamentos menos onerosos do País.

Ele exemplifica que a verba indenizatória por gabinete na Ales, estimada em R$ 4,5 mil mensais, é 1/5 do valor gasto pelo Parlamento fluminense, de cerca de R$ 25 mil. “A Assembleia capixaba já é uma das mais transparentes do Brasil e queremos alcançar a primeira posição nesse ranking, e por isso estamos trabalhando ainda mais para atingir essa meta”, disse.

Erick Musso lembrou que ao assumir a presidente da Casa pela primeira vez, em 2017, a Ales era a 16ª que mais gastava no Brasil. “Hoje somos o menor custo por deputado no País”, comemora.

Musso finalizou destacando que a transparência atingida pela Ales dá hoje a qualquer cidadão, com um computador ou simplesmente um celular à mão, a possibilidade de acessar todas as informações relativas aos salários dos deputados e dos servidores, gastos com viagens e uso de verbas indenizatórias, além de acesso ao banco de leis e de matérias protocoladas e em tramitação na Casa.

 

 

Comentários Facebook


Mais Política

Quintino quer mudança em lei de reclusão de PMs

Iriny Lopes defende indicação de Wylys e Stédile

Fundo Soberano e o de Infraestrutura aprovados

Baixo custo da Assembleia Legislativa do ES contrasta com parlamentos vizinhos

Saída de Manato revolta PSL e deputados dizem que terá consequências negativas para Governo Bolsonaro

Contarato vai à Justiça contra decreto de Bolsonaro que concede 60% de desconto a poluidores

Camilo Cola encontra general Hamilton Mourão, em Brasília

Fabrício Petri é indicado como coordenador do Conselho da Microrregião Litoral-Sul

Dorlei Fontão vai comandar Presidente Kennedy por seis meses

Em chapa única, Estevão Machado é eleito presidente do MDB de Itapemirim

João do Papel pensa em candidatura para ano que vem

Prefeito de Itapemirim chama Ferraço para briga e diz que ele é o grande ator da instabilidade no município

Mais de 2 mil pessoas nas ruas de Itapemirim em apoio a Dr. Thiago Peçanha

Câmara convoca secretário para esclarecer projetos; servidores pedem rapidez na votação

Prefeito de Itapemirim chama Ferraço para briga e diz que ele é o grande ator da instabilidade no município

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web