Jhennyfer Campista de Freitas

Aluna de Itapemirim é premiada na 15ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas OBMEP

A aluna Jhennyfer Campista de Freitas, relata que ao fazer a prova da OBMEP na primeira fase teve um grau de dificuldade razoável

Por | 15.06.2019

A aluna Jhennyfer Campista de Freitas - 8° MI da EMEIEF “Anacleto Jacinto Ribeiro” – de Campo Acima, foi premiada na 15ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). É a maior competição científica do país destinada a estudantes dos Ensinos Fundamental e Médio (6º ao 9º ano).

A diretora da “Anacleto Jacinto Ribeiro” Ruth Machado Bahiense, agradeceu o envolvimento das pedagogas Alessandra Teixeira Batista, Maria José Barbirato, e do professor coordenador de matemática e dos alunos do 6° ao 9° ano do ensino fundamental II, que participaram da 15ª Olimpíada. A segunda fase ocorreu fora da escola, em um local estabelecido pela OBMEP.

Ruth argumenta que a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, vem para estimular e promover o estudo da Matemática no país, contribuindo para a melhorar a qualidade da educação básica, possibilitando que um maior número de alunos brasileiros possa ter acesso a material didático de qualidade, além de identificar jovens talentos e incentivar seu ingresso em universidades nas áreas científicas e tecnológicas.

O cadastro da aluna foi realizado juntamente com os demais da escola nos dois primeiros meses do ano, e a avaliação aconteceu no mês de abril. A 15ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas públicas (OBMEP 2019) é uma realização da Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), promovida com recursos oriundos do contrato de gestão firmado pelo IMPA com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e com o Ministério da Educação (MEC).

A aluna Jhennyfer Campista de Freitas, relata que ao fazer a prova da OBMEP na primeira fase teve um grau de dificuldade razoável, pois as questões de raciocínio lógico exigiram maior concentração. Já na segunda fase foi mais difícil, pois as questões foram mais complexas, exigindo um maior entendimento e conhecimento do assunto.

“Para minha surpresa me saí bem na prova, alcançando uma pontuação maior do que eu esperava. No momento que recebi o certificado fiquei impressionada, emocionada e com muito orgulho, pois alcancei êxito em uma avaliação de nível nacional”, conta.  

 

 

Comentários Facebook


Mais Educação

Obras da Escola Municipal de Marobá devem ser concluídas até janeiro

Alunos de cursos técnicos em Cachoeiro participam de seminário

Enem terá aplicação digital em 2020 em fase piloto

Governo autoriza reforma e ampliação de escola infantil em Mimoso do Sul

Matemática comercial é tema de pesquisa feita por alunos de Conceição do Castelo

Aluna de Itapemirim é premiada na 15ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas OBMEP

Sedu reabre processo seletivo para profissionais do magistério

Estudantes recriam obras de arte para homenagear Cachoeiro

Transporte escolar de Soturno terá rotas readequadas

Sedu abre seleção para Supervisor Escolar

Escolas podem agendar visitas ao Museu de Ciência e Tecnologia de Cacheiro

Robótica vai estimular aprendizagem em escolas municipais de Cachoeiro

Alunas de Presidente Kennedy irão apresentar projeto no II Congresso Capixaba de Direito Civil

Estudantes visitam Casa dos Braga em Cachoeiro de Itapemirim

Propostas sobre Fundeb vitalício ganham força no Senado

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web