Adquirido pela internet

Mulher de Venda Nova do Imigrante será ressarcida por site de vendas após não receber vestido de noiva

Na decisão, o juiz explicou que houve falha na prestação de serviço e a autora tem o direito de receber o valor desembolsado de volta.

Por | 25.06.2019

Fonte: TJES

Uma consumidora que narra não ter recebido um vestido de noiva adquirido por meio de um site de vendas deve ser ressarcida em R$ 812,90. A decisão é da Vara Única de Venda Nova do Imigrante. Segundo os autos, a autora teria comprado a peça de vestuário à vista, contudo o produto nunca lhe foi entregue.

Em contestação, a empresa requerida alegou não ser parte legítima para participar do processo, uma vez que a requerente não era cadastrada no site no momento da compra e a ré não é responsável pela compra e venda da mercadoria, apenas fornece espaço virtual para outras empresas realizarem negociações. No mérito, a parte ré afirmou ausência de falha na prestação de serviço, sendo que a autora não apresentou reclamação no prazo previsto de 21 dias.

O magistrado entendeu que as afirmações de ilegitimidade da requerida não merecem prosperar. “Isso porque como demonstrado nos autos o pagamento do vestido de noiva foi feito por ela, sendo a autora interessada em ter restituído o seu dinheiro. O fato de a conta onde foi efetuada a compra não estar em seu ‘’login’’, não descaracteriza o seu interesse processual e a sua legitimidade, uma vez que o valor pago foi por ela efetuado”.

O juiz ainda verificou que os documentos juntados pela autora são suficientes para comprovar o dano sofrido por ela. “A alegação de que a consumidora teria perdido o prazo 21 (vinte e um) dias para relatar o problema não merece prosperar, isso porque, a requerente comprou o produto em 17/08/2017, não podendo essa ser a data inicial para a contagem do prazo, já que se trata de uma obrigação de tradição a autora depender do esgotamento do prazo da entrega para que, efetivamente, tome ciência do descumprimento e assim relate o problema para a ré. Assim conforme depoimento colhido em audiência a autora aguardou até o último dia de entrega para que pudesse constar a falha na prestação do serviço e assim comunicar a ré”, analisou.

Na decisão, o juiz explicou que houve falha na prestação de serviço e a autora deve receber o valor desembolsado de volta, no valor de R$812,90.

Processo nº 0001560-98.2018.8.08.0049

 

 

Comentários Facebook


Mais Geral

Meta da Cesan é ampliar para 85% de cobertura até 2023

Médico terá de indenizar paciente de Marechal Floriano por cirurgia plástica mal sucedida

Proibição de telemarketing de telefônicas começa nesta terça-feira

Durante missa, mulher empurra padre Marcelo Rossi do palco em SP

Governo do Estado lança pesquisa de fluxo turístico no Espírito Santo

Maior outdoor do Brasil fica no estado de São Paulo

EDP alerta sobre os riscos de soltar pipas próximo a rede elétrica

Prefeitura de Cachoeiro convoca classificados para assinar contrato e faz nova chamada

Ministério da Agricultura proíbe venda de seis marcas de azeite e alerta sobre preços muito baixos

Veículos a partir de R$ 2 mil serão leiloados pela Seger neste sábado (13)

Piloto morre durante voo e copiloto assume comando da aeronave

Morador de Castelo será indenizado após mensagens homofóbicas em rede social

Canonização de Irmã Dulce será em 13 de outubro

Justiça condena a mais de 60 anos de reclusão acusados de assassinar família em Guarapari

Brasil é o país que mais pesquisa a palavra homofobia na internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web