cresceu 516%

Produção de conilon cresce 5 vezes em 20 anos

Dado foi apresentado pelo superintendente do Cetcaf aos membros da Comissão de Agricultura

Por | 03.07.2019

 Foto: Ellen Campanharo

 

A produção de café conilon cresceu 516% nos últimos 20 anos, segundo o superintendente do Centro de Desenvolvimento Tecnológico do Café (Cetcaf), Frederico Daher. Ele participou da reunião ordinária da Comissão de Agricultura, nesta terça-feira (2), e apresentou dados referentes à cultura do café e informações sobre o âmbito de atuação da instituição.

Confira fotos da Comissão de Agricultura

Além de destacar o incremento na produção de conilon, o engenheiro agrônomo destacou o crescimento do café arábica – aumento de 347% nos últimos 20 anos – e apresentou dados da cafeicultura como um todo. Em 1992, o Espírito Santo produziu 3,4 milhões de sacas de café (arábica e conilon). Em 2018, foram 12,8 milhões de sacas. São 330 mil capixabas envolvidos no setor cafeeiro. “O café tem a virtude de democratizar a renda. Onde entra o café, entra o bem-estar social”, ressaltou.

Criado há 25 anos para impulsionar e profissionalizar a cafeicultura capixaba, o Cetcaf tem o objetivo de promover o desenvolvimento tecnológico na área, visando à melhoria de qualidade e da produtividade do café, assim como das condições sociais das pessoas envolvidas no sistema. Para isso, a entidade trabalha com capacitações e eventos técnicos, desenvolvimento e difusão de tecnologias e realização de estudos.

Dados

A presidente da Comissão de Agricultura, deputada Janete de Sá (PMN), apresentou mais dados sobre a produção capixaba de conilon. A parlamentar destacou que o Estado tem a maior área plantada e a maior produtividade, equivalente a 72% do total nacional da produção da espécie.

Janete de Sá ainda falou sobre o acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia, anunciado na última semana. “Sabemos que o acordo ainda precisa ser aprovado no legislativo unificado da União Europeia e nos legislativos dos países que compõem o Mercosul, mas o nosso conilon terá um grande ganho, pois o café solúvel que, atualmente, é taxado em 9%, está no primeiro grupo de produtos que terão imposto zerado para entrar no bloco dos 28 países europeus”, comentou.

A presidente do colegiado frisou ainda que o Estado tem muito mercado a alcançar. “Do total de 42 bilhões de dólares em produtos exportados para a União Europeia em 2018, o Espírito Santo participou com apenas 1,5 bilhão. Temos muito a crescer ainda e pensar em produtividade e, principalmente, em qualidade dos nossos produtos, pois trata-se de um mercado gigantesco, mas exigente. E é exatamente esse o trabalho que o Cetcaf vem fazendo ao longo de muitos anos”, destacou.

 

 

Comentários Facebook


Mais Agronegócio

Cafés especiais ganham atenção na região do Caparaó

Definidas regras para venda de queijo artesanal em todo o país

Governo quer mudar seguro agropecuário

Inclusão social agrega valor aos cafés especiais

De Muqui para o Brasil: café capixaba ganha mais um prêmio

Cachoeiro facilita venda de produtos de agroindústrias para todo o ES

Produtor de amêndoas do Sul do estado recebe premiação

Produtores de cafés especiais na região do Caxixe começam ser identificados pelo governo

Prefeitos de Minas Gerais conhecem o agroturismo em Venda Nova do Imigrante

Mudas de Pinus serão distribuídas a produtores da Região Serrana do ES

Queijo de 650 quilos é destaque de concurso leiteiro em Muniz Freire

Espírito Santo ganha primeira Federação dos Cafés

Produção de conilon cresce 5 vezes em 20 anos

Nova cultivar de café conilon é lançada pelo Incaper

Morador de Anchieta desenvolve máquina para colher pimenta rosa

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web