Sindirochas e Centrorochas

Exportadores de rochas do ES debatem transição para nova modalidade de despacho de blocos com Alfândega e Coana

Participaram do encontro representantes das empresas exportadoras, de terminais, embarcadores, armadores e fiel depositário

Por | 04.07.2019

Na tarde desta quarta-feira, 03 de julho, Sindirochas e Centrorochas reuniram representantes envolvidos em cada etapa do processo de exportação de blocos em uma reunião com a Alfândega do Porto de Vitória e com o coordenador operacional substituto da Coordenação Geral de Administração Aduaneira (Coana), Felipe Mendes de Moraes.

O encontro aconteceu na sede da Alfândega, em Vitória, sendo a participação do representante da Coana através de videoconferência. Participaram do encontro representantes das empresas exportadoras, de terminais, embarcadores, armadores e fiel depositário.

O coordenador operacional substituto da Coordenação Geral de Administração Aduaneira (Coana), Felipe Mendes de Moraes, que também é chefe da divisão de despacho de exportações e regimes aduaneiros do órgão federal, reforçou que a utilização da DU-E normal é uma diretriz a ser seguida por todos os setores produtivos do país. “Nossa determinação é que os estados restrinjam o embarque antecipado”, afirmou.

Ao final da reunião, apesar de ter sido sinalizado um pequeno espaço de aplicação da DU-e antecipada, em casos excepcionais, ficou definida a elaboração de um plano de ação para analisar a possível forma transição da “DU-E antecipada" para "DU-E normal" no que tange a exportação de carga solta. Os órgãos federais, no entanto, não determinaram uma data para a virada nas operações.

Entre os participantes estavam o auditor-fiscal da Receita Federal do Brasil e Delegado da ALV/VIT, Fabrício Betto, o auditor fiscal Douglas Coutinho, a superintendente do Centrorochas, Alessandra Bertolani, o executivo do Sindirochas, Celmo de Freitas, e o assessor jurídico da entidade, Daniel Gomes.

Saiba mais

Em janeiro deste ano, a Alfândega do Porto de Vitória apontou a necessidade da substituição dos embarques antecipados, hoje prática comum na exportação de blocos, para os embarques normais, visando questões de gerenciamento de risco, exigências já adotadas por outros países quanto a antecedência de informações e, ao critério de excepcionalidade previsto para a modalidade dos embarques antecipados.

 

 

 

Comentários Facebook


Mais Economia

Previsão de crescimento econômico aumenta; estimativa de inflação cai

Cachoeiro de Itapemirim se prepara para a Cachoeiro Stone Fair 2019

Petri comemora gestão responsável que garantiu nota A do Tesouro Nacional à Anchieta

Produtoras de Muqui dão exemplo de protagonismo feminino na cafeicultura capixaba

Apesar de receita maior no 1º semestre, secretário da Fazenda pede cautela

Nossocrédito de Marataízes alcança mais de R$ 600 mil aprovados

Empresários de Marataízes marcam presença na 12ª MEC SHOW

Comércio varejista cresce 0,1% em junho; acumulado no ano é 0,6%

Setor de rochas apresenta demandas urgentes para Bancada Federal do ES

Mesmo com autorregulação, uso do cheque especial continua alto

Espírito Santo sai em vantagem com o Programa Novo Mercado de Gás

Renato Casagrande fala sobre desafios da economia em palestra na Findes

Governo do Estado indica Heber Resende para assumir presidência da ES Gás

Aprovação da reforma é apenas o começo, diz presidente da Findes

Exportadores de rochas do ES debatem transição para nova modalidade de despacho de blocos com Alfândega e Coana

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web