Candidato a prefeito?

Insatisfeito com a atual administração, Alexandre Bastos confirma convites para ser candidato e pensa na possibilidade

Sobre novos partidos, Alexandre confirmou 5 convites até agora, todos com abertura para assumir uma pré-candidatura a prefeito.

Por Ilauro Oliveira | 16.09.2019

Em um almoço de quase duas horas nesta segunda-feira (16), o vereador Alexandre Bastos (PSB), de Cachoeiro de Itapemirim, conversou com o site Atenasnotícias.

Não é mentira que o vereador esteja insatisfeito com o seu partido e em especial com a administração do seu colega de sigla, prefeito Victor Coelho.  Alexandre confirmou que o desgaste vem de longe, desde a última eleição, em 2018, mas que nos últimos meses vem se agravando de maneira acentuada.

O vereador, embora seja muito polido, não negou que os rumos da administração atual estejam aquém do seu desejo.

“Poderia ser diferente. Infelizmente somos pouco ouvidos. Tenho seis mandatos na Câmara Municipal, tenho uma trajetória de lealdade ao PSB, e bons desempenhos obtidos em disputas à Câmara Federal e à Assembleia Legislativa, então acho que deveria ser mais ouvido e mais respeitado”.

Ouvido e respeitado por quem? A resposta é seca: “Pelo PSB e pela administração atual”, admitiu.

Perguntando se essa insatisfação foi o motivo de sua ausência no encontro de sábado passado promovido pelo seu partido, Bastos foi direto:

“De fato, eu tive um compromisso em Vila Velha, num encontro de ex-alunos de 1981. Até aí não é mentira. Mas, confesso que se estivesse feliz com o partido e com algumas pessoas, eu estaria presente. Teria feito um esforço para ir. Mas não fiz esse esforço”.

E essa infelicidade pode resultar em um afastamento seu? Alexandre admite que sim:

“Tenho uma história muito bonita no partido. Uma história longa, de amizades, de esforços em nome da sigla, de entrega total aos projetos políticos do grupo e do governador Renato Casagrande, mas hoje tenho refletido sim sobre essa possibilidade de sair”.

Enquanto o garfo trabalhava, Bastos recebia naquele exato momento uma mensagem do governador, marcando uma conversa para breve. Perguntado se essa conversa seria definitiva, ele optou por dizer que ela seria importante, mas não exatamente definitiva.

“A definitiva é aquela que a gente tem intimamente, com a gente mesmo, com a família e com os aliados políticos mais próximos. O governador é um aliado político próximo, muito próximo, mas não é o único. Eu vou ouvir mais gente ainda. Mas falar com ele é fundamental e estou feliz com esse retorno que vinha esperando há meses. A partir dessa conversa, outros passos podem avançar”.

Avançar para onde? Perguntei.

“Avançar para uma saída ou para uma permanência, que também não está descartada. Eu, legalmente, ainda tenho tempo para isso, e vou analisar sem pressa”, disse. Lembrando que ele tem até a janela partidária em março de 2020 para decidir-se.

Perguntado sobre a possibilidade de ser candidato a prefeito, Bastos admitiu, sim, a possibilidade, reconhecendo, no entanto, que para isso acontecer será necessário a saída do partido.

“Posso ser sim. Estou no sexto mandato de vereador, acho que dei grandes contribuições a Cachoeiro e a população. Tenho refletido se essa não é a hora de buscar novos meios de colaborar mais. Tenho experiência na vida pública, tenho lealdade política e tenho abertura com todas as lideranças cachoeirenses. Fiz minha trajetória até aqui sem usar, abusar, desrespeitar ou ofender ninguém. Tenho uma história limpa e honrada. Então pergunto eu: o que mais faltaria para sonhar mais alto? Talvez falte apenas escolher um partido porque sei que hoje o PSB trabalha a reeleição do prefeito Victor Coelho, e esse projeto deve ser respeitado” revelou-se.

Sobre novos partidos, Alexandre confirmou 5 convites até agora, todos com abertura para assumir uma pré-candidatura a prefeito.

“Tive sim, 5 convites até agora. Não vou citar nomes de siglas em respeito a algumas conversas que não foram públicas ainda. Mas há convites que já são públicos, como o convite do Dem. Todos eles abrem essa possibilidade (candidatura). Tenho ouvido com carinho, mas os passos são dados com cautela. O primeiro deles é me entender com o meu partido. E o segundo é avaliar os incentivos espontâneos que venho recebendo nas ruas de Cachoeiro. E eles têm sido muitos”.

Almoço encerrado, com direito a um resumo da sua vida política.

Bastos foi eleito vereador em 1996 (953 votos), 2000 (1032 votos), 2004 (1880 votos), 2008 (1644 votos), 2012 (1640 votos) e 2016 (1501 votos).

No currículo tem ainda: suplente de deputado federal em 2002, com 15.626 votos; suplente de deputado estadual em 2010, com 4.591 votos; e suplente de deputado estadual em 2014, com 11.072 votos. Em 2018, Alexandre Bastos teve 13.282 votos para deputado estadual, tornando-se suplente mais uma vez.

 

 

Comentários Facebook


Mais Política

Crimes cibernéticos aumentam no Espírito Santo

Câmara de Cachoeiro começa implantação da Câmara sem Papel

Deputado quer banir coleira antilatido no ES

Deputados capixabas vão votar projetos a favor de vítimas das chuvas

Câmara de Castelo nomeia primeiro servidor que passou no Concurso Público de 2018

Novo presidente estadual do PSL confirma projeto eleitoral em Cachoeiro

Deputado capixaba quer regras para taxa de esgoto

Sancionada cota para negros e índios em concursos do Espírito Santo

Contarato pede reação a ataques contra indígenas

Em vídeo, Bolsonaro diz que Implementar juiz de garantias é difícil

Senado deve votar Plano Mais Brasil nos primeiros meses de 2020

Proposta de taxar seguro-desemprego não deve avançar no Congresso

Presidente da Câmara de Marataízes faz balanço positivo de 2019 e fecha ano com pacotão de projetos

Reurbanização da orla de Marataízes será entregue à população neste sábado, mas sem palanque oficial

Câmara de Itapemirim não paga 13º aos servidores e vereador Patinho quer punir responsáveis

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web