Tartarugas marinhas

Projeto Tamar anuncia marca de 40 milhões de tartarugas protegidas

Os animais têm ciclo de vida longo e levam de 20 a 30 anos para se reproduzir.

Por | 19.09.2019

Por Agência Brasil  

Foto: divulgação Projeto Tamar

Na próxima temporada de desova das tartarugas marinhas, o projeto Tamar deve alcançar a marca de 40 milhões de animais protegidos.

“Podemos dizer que a tartaruga de número 40 milhões já existe e navega em uma viagem transcontinental rumo às praias brasileiras. Mas é importante lembrar que, a cada mil tartarugas que nascem, apenas uma ou duas sobrevivem. Ainda há muito a fazer para livrar esses animais da ameaça de extinção”, diz o fundador do Projeto Tamar, Guy Marcovaldi.

Os animais têm ciclo de vida longo e levam de 20 a 30 anos para se reproduzir. A cada temporada, de acordo com o projeto, cerca de 2 milhões de filhotes nascem nas praias brasileiras monitoradas pelo Tamar, que trabalha também na proteção de tartarugas jovens e adultas resgatadas de captura incidental na pesca. Acidentes com redes e anzóis, plásticos e o trânsito de veículos nas praias são fatores de risco para os animais.

Sobre o Tamar

Em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o projeto Tamar contribui para a recuperação de quatro espécies de tartarugas marinhas: tartaruga-oliva, tartaruga-de-pente, tartaruga-cabeçuda e tartaruga-de-couro. O trabalho do Tamar garante também a estabilidade da tartaruga-verde em Fernando de Noronha (PE) e Trindade (ES).  A missão do projeto inclui é a pesquisa, a conservação e o manejo das cinco espécies, todas ameaçadas de extinção.

As ações do projeto se estendem por cerca de 1,1 mil quilômetros de praias, em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso das tartarugas, no litoral e ilhas oceânicas dos estados da Bahia, de Sergipe, de Pernambuco, do Rio Grande do Norte, do Ceará, do Espírito Santo, do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Santa Catarina.

O Tamar é membro da Rede de Projetos de Biodiversidade Marinha (Rede Biomar), grupo composto também pelos projetos Albatroz, Baleia Jubarte, Coral Vivo e Golfinho Rotador, todos patrocinados por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

 

 

Comentários Facebook


Mais Meio Ambiente

Monitor de Secas aponta redução da área com seca e da gravidade do fenômeno no Espírito Santo

Ilha dos Franceses, rara beleza em Itapemirim e refrescante atrativo no verão 2020

Visitas guiadas ao Monte Aghá estão com inscrições abertas

Estado terá 100% dos municípios realizando licenciamento ambiental em 2020

Presidente Kennedy cria comissão para enfrentar eventual avanço da lama de petróleo nas praias

Óleo já atingiu pelo menos 675 áreas de 116 cidades, informa Ibama

Devido ao vazamento de óleo no Nordeste, praias de Itapemirim são monitoradas diariamente

Victor Coelho assina pacote de medidas ambientais em Cachoeiro

Óleo atinge local de desova de tartarugas no Espírito Santo

Na foz do Rio Doce, pescadores temem que óleo agrave tragédia

Fuzileiros vão tentar localizar manchas de óleo no Espírito Santo

Recanto sagrado dos yanomami, Pico da Neblina deve ser reaberto

Ambientalista diz que Cachoeiro tem 80% de esgoto tratado

Primavera começa, mas chuvas devem se fixar apenas em outubro

Temperatura média do planeta pode subir 3,4°C até 2100

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web