Mais cara

Aneel anuncia bandeira tarifária vermelha para novembro

Acréscimo na conta será de R$ 4 para cada 100 kWh consumidos

Por | 26.10.2019

Agência Brasil  Brasília

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou, hoje (25), que a bandeira tarifária para o mês de novembro será a vermelha, no patamar 1, quando há um acréscimo de R$ 4 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Em outubro, a bandeira foi a amarela, cujo acréscimo na conta é de R$ 1.

De acordo com a agência, a decisão de elevar o patamar da bandeira se deve ao fato de que, apesar de novembro ser o mês de início do período chuvoso nas principais bacias hidrográficas do país, o regime de chuvas está abaixo da média histórica.

"O regime de chuvas regulares nessas regiões tem se revelado significativamente abaixo do padrão histórico. A previsão hidrológica para o mês também aponta vazões afluentes aos principais reservatórios abaixo da média, o que repercute diretamente na capacidade de produção das hidrelétricas, elevando os custos relacionados ao risco hidrológico (GSF)", explicou a Aneel.

A agência disse ainda que nesse cenário aumenta a demanda de acionamento de usinas termelétricas, cujo custo de produção é mais alto, o que incide sobre da energia.

Sistema

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico (GSF, na sigla em inglês) e o preço da energia (PLD).

O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

No dia 21 de maio, agência aprovou um reajuste no valor das bandeiras tarifárias. Com os novos valores, caso haja o acionamento, o acréscimo cobrado na conta pelo acionamento da bandeira amarela passou de R$ 1 para R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos. Já a bandeira vermelha patamar 1 passou de R$ 3 para R$ 4 a cada 100 kWh e no patamar 2 da bandeira passou de R$ 5 para R$ 6 por 100 kWh consumidos. A bandeira verde não tem cobrança extra.

Os recursos pagos pelos consumidores vão para uma conta específica e depois são repassados às distribuidoras de energia para compensar o custo extra da produção de energia em períodos de seca.

 

 

Comentários Facebook


Mais Economia

Receita paga hoje as restituições do 6º lote do Imposto de Renda

Espírito Santo ocupa 2ª posição em ranking de liberdade econômica do País

Seis em cada 10 empresários pretendem investir nos próximos 12 meses

Victor Coelho estimula ambiente de negócios com adesão ao Programa Cidade Empreendedora do Sebrae

Vendas no Natal devem movimentar R$ 60 bilhões na economia, aponta pesquisa

Presidente Kennedy debate desenvolvimento econômico

“Vivemos a grande virada da economia do Espírito Santo”, diz vice-presidente da Findes

Energia fotovoltaica: investimento para empresas que querem reduzir custos

Empresas do setor de rochas ornamentais têm acesso ao crédito no Bandes

Brasil tem 5 milhões de pessoas superendividadas

Mariana vê melhora econômica e aguarda Samarco após 4 anos da tragédia

Mutirão do Procon vai facilitar pagamento de dívidas em Cachoeiro

Empresa de provedor de internet em Presidente Kennedy se estrutura com recursos do Fundesul

Apenas 25% dos jovens de 18 a 30 anos fazem controle finance

A Samarco obtém Licença de Operação Corretiva e já pode reiniciar suas operações

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web