Perigo!!

Levantamento aponta que 80% dos focos do Aedes aegypti estão dentro das residências

Por isso, é preciso evitar o acúmulo de água limpa e parada em ambientes domésticos.

Por | 27.12.2019

 

O verão chegou e com ele as altas temperaturas que, associadas às chuvas que se tornam mais recorrentes. É a estação perfeita para o aumento da incidência de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Por isso, é preciso evitar o acúmulo de água limpa e parada em ambientes domésticos. De acordo com o último ranking divulgado pelo Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRA’a), 80% dos focos do mosquito estão nas residências da população. Entretanto, outros ambientes como oficinas, cemitérios e quadras poliesportivas também precisam ser fiscalizados e limpos regularmente para evitar a proliferação do mosquito.

Os dados do LIRA’a mostram que objetos como vasos com água, pratos pingadeiras, recipientes de degelo em geladeiras, bebedouros, objetos religiosos e materiais em depósitos de construção são responsáveis por 25% dos criadouros do inseto.

Em segundo lugar, com 23%, estão os tanques em obras, borracharias, hortas, calhas, lajes, toldos, ralos, piscinas não tratadas, fontes ornamentais, floreiras ou vasos em cemitérios, cacos de vidros em muros e outras obras arquitetônicas.

A terceira posição, com 23%, é ocupada pelos seguintes objetos: toneis, tambores, barris, depósitos de barro, cisternas, caixas d’água e captação de água em poços.

Já os lixos, sucatas em pátios, ferros-velhos e entulhos de construção ocupam a quarta posição do levantamento, com 12%. Os depósitos de alvenarias e tambores são 9%, ocupando o quinto lugar dos focos do mosquito.

Os pneus e outros materiais rodantes representam 7% dos criadouros, no sexto lugar. E em último lugar, com 1%, estão os buracos em árvores e rochas e restos de animais.

 

Veja aqui o 51º boletim da dengue.

Veja aqui o 51º boletin de zika.

Veja aqui o 51º boletin de chikungunya.

 

Como eliminar o mosquito

Para eliminar o vetor, é necessário que toda a população esteja atenta e empenhada na eliminação dos criadouros do Aedes aegypti.

Os quintais devem estar sempre varridos. Além disso, é preciso colocar todas as garrafas vazias de cabeça para baixo, escovar as bordas das vasilhas de água e comida de animais, além de vedar as caixas d’água e tonéis.

A limpeza deve ser realizada uma vez por semana, sempre no mesmo dia, para interromper o ciclo do mosquito.

 

 

Comentários Facebook


Mais Saúde

Em Cachoeiro, Governo do Estado anuncia 28 mil consultas de saúde para região sul

Reabertura do Paulo Pereira foi destaque de 2019 em Cachoeiro

SUS recebe 1.424 novos leitos de UTI em todo o Brasil

Hospital Unimed Sul está entre as unidades de saúde que cumprem padrões mundiais para atendimentos de AVC

Unidades de saúde do interior terão coleta de sangue para exames

Começa pesquisa para saber como anda a saúde dos brasileiros

O verão chegou e é preciso cuidados para evitar a desidratação

Nova Unidade Básica de Saúde será inaugurada nesta sexta-feira em Joacima

Sala de vacinas funcionará no Centro de Saúde Paulo Pereira Gomes

Janeiro Branco: Cachoeiro terá atividades sobre saúde mental neste mês

Governador Casagrande apresenta balanço sobre redução da criminalidade em 2019

Santa Casa de Misericórdia passa administrar Hospital Menino Jesus em Itapemirim

Unimed Sul Capixaba conquista Selo Ouro no Programa de Acreditação de Operadoras da ANS

Cresce número de transplantes de órgãos no Espírito Santo

Levantamento aponta que 80% dos focos do Aedes aegypti estão dentro das residências

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web