2019 termina positivo

Cresce número de transplantes de órgãos no Espírito Santo

No Espírito Santo, o número de transplantes realizados entre janeiro e novembro deste ano aumentou 5% em relação ao mesmo período de 2018.

Por | 31.12.2019

O ano de 2019 termina positivo para muitos pacientes que estiveram na fila de transplantes de órgãos e conquistaram a chance de uma vida melhor. No Espírito Santo, o número de transplantes realizados entre janeiro e novembro deste ano aumentou 5% em relação ao mesmo período de 2018.

 

Segundo dados da Central de Transplantes do Espírito Santo (CET-ES), foram realizados, neste ano, 417 transplantes no Estado, sendo 211 transplantes de córnea, 95 de rim, 23 de fígado, 11 de coração, 17 de escleras e 60 transplantes de medula óssea autólogo. Já em 2018, de janeiro a novembro, o Estado realizou 393 transplantes.

Para a coordenadora do CET-ES, Maria Machado, os números mostram o resultado de um trabalho que vem sendo intensificado pela Central. “Foi um ano de muitas capacitações e de um esforço mútuo da equipe, assim como o entendimento dos familiares sobre a importância da doação de órgãos”, informou.

Além disso, houve um aumento em relação ao número de entrevistas familiares realizadas pelas Comissões Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT). Foram feitas 122 entrevistas em 2019, registrando um aumento de 56,4% em relação ao mesmo período de 2018, com 78 entrevistas.

Os dados, entretanto, poderiam ter outra realidade, ajudando ainda mais os 1.320 capixabas que aguardam por um transplante. Segundo Maria Machado, o maior obstáculo no Estado este ano foi a recusa familiar. “Tivemos um aumento de 11% de recusa em relação ao ano anterior. É um percentual que representa o total de 66 recusas familiares”, disse.

Para reverter esse cenário, a coordenação conta com capacitações das equipes de profissionais da rede de saúde durante todo o ano, para dialogar com as famílias e explicar sobre o processo de morte encefálica, além de fazer o atendimento humanizado e, assim, poder passar a mensagem de que a doação de órgãos pode salvar muitas vidas.

 

CET-ES em 2019: capacitações e cursos

O ano de 2019 foi marcado por muitas capacitações e cursos, a fim de aprimorar cada vez mais os processos de transplante e também das equipes responsáveis pelo acolhimento das famílias.

A Central Estadual de Transplantes do Espírito Santo ministrou o curso “Determinação de Morte Encefálica”, direcionado aos médicos que atuam em Unidades de Terapia Intensiva (UTI’s), de urgências e emergências. “Com a capacitação, os médicos estão aptos a conduzir o diagnóstico de morte encefálica, que poderá consolidar as ações para a doação de órgãos”, destacou Maria Machado.

Os profissionais das CIHDOTT e das instituições hospitalares do Estado realizaram atividades e palestras para profissionais de diversas áreas da saúde, além de estudantes de cursos superiores de biomedicina, enfermagem, fisioterapia e nutrição e para os alunos do Ensino Médio.

 

Setembro Verde

As atividades realizadas durante o mês de setembro foi mais uma alternativa de sensibilização para ampliar o “sim” para doação de órgãos. No Espírito Santo, a Lei Estadual 10.374/2015 incluiu no calendário oficial do Estado o “Setembro Verde”, como o mês de conscientização sobre a doação de órgãos.

De acordo com Maria Machado, o mês foi marcado por diversas atividades. “Durante o ‘Setembro Verde’, realizamos atividades de orientação para intensificarmos junto à sociedade civil, profissionais e estudantes da área de saúde a importância do diálogo com as famílias sobre o desejo de ser um doador”, pontuou.


Quero ser um doador de órgãos

No Brasil, a doação de órgãos só é realizada por meio da autorização familiar. Por isso, para ser um doador de órgãos, primeiramente avise à sua família. Converse sobre o seu desejo de doar e deixe claro para que ela autorize.

 

Hospitais que realizam transplantes no Espírito Santo

Existem no Estado sete serviços habilitados para a realização de transplante, sendo cinco deles por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) e quatro particulares. No entanto, todo o processo de notificação, captação e doação de órgãos é feito pelo SUS.

- Hospital Meridional: coração, fígado e rins;

- Hospital Evangélico de Vila Velha: coração, rim e córnea;

- Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (Hucam): córnea;

- Centro de Cirurgia Ocular do Espírito Santo (Cecoes): córnea (procedimento por convênio particular);

- Instituto de Olhos do Espírito Santo (IOES): córnea (procedimento por convênio particular);

- Instituto Oftalmológico Santa Luzia: córnea (procedimento por convênio particular);

- Hospital Mata da Praia: córnea (procedimento por convênio particular).

Já os bancos de olhos que realizam a captação de córneas estão localizados no Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (Hucam), que realiza a captação de córneas em Vitória e no Hospital Evangélico de Vila Velha, que faz a captação de córneas nos demais municípios do Espírito Santo.

 

 

Comentários Facebook


Mais Saúde

Em Cachoeiro, Governo do Estado anuncia 28 mil consultas de saúde para região sul

Reabertura do Paulo Pereira foi destaque de 2019 em Cachoeiro

SUS recebe 1.424 novos leitos de UTI em todo o Brasil

Hospital Unimed Sul está entre as unidades de saúde que cumprem padrões mundiais para atendimentos de AVC

Unidades de saúde do interior terão coleta de sangue para exames

Começa pesquisa para saber como anda a saúde dos brasileiros

O verão chegou e é preciso cuidados para evitar a desidratação

Nova Unidade Básica de Saúde será inaugurada nesta sexta-feira em Joacima

Sala de vacinas funcionará no Centro de Saúde Paulo Pereira Gomes

Janeiro Branco: Cachoeiro terá atividades sobre saúde mental neste mês

Governador Casagrande apresenta balanço sobre redução da criminalidade em 2019

Santa Casa de Misericórdia passa administrar Hospital Menino Jesus em Itapemirim

Unimed Sul Capixaba conquista Selo Ouro no Programa de Acreditação de Operadoras da ANS

Cresce número de transplantes de órgãos no Espírito Santo

Levantamento aponta que 80% dos focos do Aedes aegypti estão dentro das residências

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web