Dr. Waldemar Algemiro

Hospital Unimed Sul está entre as unidades de saúde que cumprem padrões mundiais para atendimentos de AVC

O trabalho conjunto entre as equipes do SOS Unimed, que faz o resgate e a remoção dos pacientes, do Pronto Socorro, dos neurologistas e da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) é fundamental para o sucesso do protocolo

Por | 14.01.2020

O acidente vascular cerebral (AVC) e? uma das maiores causas de morte e incapacidade funcional no mundo. Segundo os dados mais recentes do Ministério da Saúde, em 2016, o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou 188,2 mil internações e 40 mil óbitos pela doença.

Para realizar um atendimento ágil, adequado e integrado, o Hospital Unimed Sul implantou o Protocolo de AVC há cerca de um ano e cumpre, agora, os padrões mundiais mais exigentes de atendimentos para o Acidente Vascular Cerebral (AVC), de acordo com o Projeto Angels, que é uma referência internacional, e qualifica os centros de AVC já existentes, além de auxiliar na implementação de novos centros.

O documento visa agilizar o diagnóstico e o atendimento ao paciente, seguindo um fluxo de procedimentos iniciado no momento em que o paciente demonstra indicações da doença. Entre os sintomas estão perda de força em metade do corpo, alteração de fala, sorriso torto e outros. Participam do Protocolo de AVC mais de 150 hospitais no Brasil e cerca de 2.800 hospitais no mundo, entre eles o Hospital Unimed Sul.

“Para nós da Unimed Sul Capixaba esta é uma grande conquista do Hospital Unimed e, consequentemente, de toda a região. Saber que nosso hospital, localizado em Cachoeiro de Itapemirim, atende padrões de qualidade de nível mundial para atendimentos para casos de AVC é muito bom, nos enche de orgulho e nos motiva ainda mais para prestar o melhor serviço aos nossos pacientes”, afirma o médico neurologista, Dr. Waldemar Algemiro, responsável pela implantação dos protocolos no hospital.

Ele acrescenta que com uma estrutura adequada, como há no Hospital Unimed, se o paciente com sintomas de AVC isquêmico chegar ao hospital nas primeiras quatro horas é possível reverter o quadro. “Aplicamos um medicamento trombolítico que atua para tentar restabelecer as funções cerebrais”, destaca Dr. Waldemar Algemiro.

Segundo o médico, o trabalho conjunto entre as equipes do SOS Unimed, que faz o resgate e a remoção dos pacientes, do Pronto Socorro, dos neurologistas e da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) é fundamental para o sucesso do protocolo, pois é necessário agir com rapidez para minimizar ou, até mesmo, reverter o quadro dos pacientes com AVC isquêmico e fazer com que eles saiam sem sequelas.

 

 

Comentários Facebook


Mais Saúde

Câncer: Inca alerta para sinais e sintomas persistentes em crianças

Pesquisa revela o comportamento digital dos médicos no Brasil

A pedido de Dr. Thiago Peçanha, ex-prefeito de Itapemirim será homenageado em UTI do Hospital Santa Helena

Farmácia Cidadã de Atílio Vivácqua passa a funcionar direto, sem intervalo para almoço

Tabela SUS Capixaba para exames é publicada no Diário Oficial

Dia Mundial de Combate ao Câncer: médicos recomendam atividade física

Moradores afetados por enchente podem se vacinar contra hepatite A em seis locais

Número de mortes pelo coronavírus ultrapassa 300 na China

Casos suspeitos de coronavírus sobem para 12 no Brasil

Centro de Operações Estratégicas elabora plano para conter coronavírus

Regiões de Cachoeiro atingidas por enchente terão vacinação contra hepatite A

Cachoeiro intensifica ações de combate a endemias após enchente

Secretaria de Saúde orienta população sobre cuidados pós-enchente

Prefeito de Itapemirim determina atendimento prioritário à população atingida pela enchente

Médico explica câncer de pulmão agressivo de Ana Maria Braga

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação sem autorização.

© Atenas Notícias e Opinião.
Todos os direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web